Quais as causas de falhas na inseminação artificial?

Escrito por don rainwater | Traduzido por vanessa arnaud
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Quais as causas de falhas na inseminação artificial?
A inseminação artificial é um método que também apresenta falhas (Jupiterimages/Comstock/Getty Images)

Muitos casais que possuem dificuldades para gerar um bebê, muitas vezes, recorrem a medicamentos e outros procedimentos. A sociedade atual também permite que mães solteiras ou casais homossexuais engravidem, aumentando a demanda por métodos alternativos de fertilidade. Infelizmente, esses procedimentos não oferecem garantia de que a mulher estará apta a efetivamente conceber o bebê, pois existem muitos motivos pelos quais a inseminação artificial pode falhar.

Outras pessoas estão lendo

Riscos da inseminação artificial

A inseminação artificial, assim como qualquer outro procedimento médico, apresenta riscos. Eles variam de um método para outro, uma vez que existem diversas maneiras de realizar a inseminação. O maior risco comum aos diversos procedimentos é a probabilidade de conceber múltiplos bebês, como gêmeos ou trigêmeos, especialmente pela utilização simultânea de medicamentos para a fertilidade e da inseminação artificial. A concepção de múltiplos bebês apresenta um alto risco de aborto. Outro risco é a diabetes gestacional, que pode também ser mais propícia no caso de mais de um bebê. A síndrome de hiperestimulação do ovário, mais conhecida como OHSS, é um risco menor da inseminação artificial e pode causar inchaço, náusea e dor abdominal.

O papel do parceiro

Se o parceiro, que produz o esperma, apresenta um número baixo de espermatozoides, a inseminação pode falhar. A quantidade de gametas reduz conforme o homem envelhece. Isso não acontece apenas com os humanos; o mesmo caso já foi verificado em criações e diversos mamíferos. Se a contagem de espermatozoides for a razão da não concepção, uma opção a ser considerada é procurar por um doador de esperma.

Qual o papel da saúde e do estilo de vida na inseminação artificial?

A inseminação artificial pode ser em vão se a mulher não possuir um estilo de vida saudável. Problemas como obesidade, pressão alta e diabetes podem afetar a capacidade de concepção da mulher, mesmo com um procedimento correto. A acidez do útero ou da área vaginal pode ser fruto de uma vida pouco saudável e pode ser um empecilho para uma gravidez saudável. Praticar exercícios regularmente e fazer uma dieta de boa qualidade são fatores que aumentam as chances da mulher engravidar através da inseminação artificial.

Métodos de inseminação artificial e problemas individuais

A inseminação homóloga é quando o esperma capacitado é introduzido no cérvix da mulher durante seu período de ovulação. O maior problema desse procedimento é que o sêmen pode não ser "forte" o suficiente para sobreviver ao processo de capacitação. A inseminação intracervical, em que o sêmen é verificado e a melhor coleta é introduzida no canal cervical através de um cateter, requer que a mulher esteja livre de infecções. A inseminação intrauterina, considerada um dos melhores métodos para a concepção, requer um cálculo perfeito do período de ovulação, o que quer dizer que pode ocorrer falhas se as condições não forem ótimas e o período de ovulação não for precisamente determinado.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível