Quais são as causas de polidipsia e enzimas hepáticas elevadas em cães?

Escrito por ann louise truschel | Traduzido por giovana moretti
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Quais são as causas de polidipsia e enzimas hepáticas elevadas em cães?
Muitas doenças e distúrbios podem aumentar os níveis de enzimas hepáticas (beef liver on white plate image by radarreklama from Fotolia.com)

A polidipsia (sede excessiva) e enzimas hepáticas excessivas (ALT, ASP, ALP e GGT) podem ser causadas por diabetes, danos no fígado, lesões musculares, drogas, tumores benignos ou malignos, danos a outros órgãos, doenças ósseas, doença da vesícula biliar e hipotireoidismo. O veterinário precisará fazer exames para descobrir a causa da polidipsia e elevação das enzimas hepáticas. Labradores retrievers, Dálmatas, Cocker Spaniels, Dobermans, Pinschers, Bedlington terriers, Skye terriers e West Highland white terriers são geneticamente pré-dispostos a doenças e distúrbios hepáticos.

Outras pessoas estão lendo

Polidipsia

A polidipsia, junto com urina excessiva e apetite aumentado, é um sintoma típico do diabetes e do hiperadrenocorticismo (doença de Cushing). Sintomas adicionais da doença de Cushing incluem respiração ofegante, hipertensão, perda de pelos, abdome caído, afinamento da pele, caroços duros sob a pele, infecções de pele, fraqueza cardíaca e muscular e problemas com o sistema nervoso. A doença de Cushing é geralmente causada por um tumor na glândula adrenal ou pituitária. Exames de sangue e um exame de supressão de dexametasona podem distinguir entre diabetes e doença de Cushing.

Alanina aminotransferase (ALT)

Aumentos nos níveis de ALT indicam danos hepáticos ou musculares, doença da vesícula biliar, distúrbios gastrointestinais, hipotireoidismo, uso excessivo de corticosteroides ou medicamentos fenobarbitais, ou câncer no fígado ou no duto biliar. Um exame de sangue para determinar a creatinina quinase pode distinguir entre danos hepáticos ou musculares. Descontinuar medicamentos suspeitos e fazer os exames para os níveis de ALT de novo vai determinar se o medicamento é o problema. Estudos imagéticos podem revelar tumores. Um ultrassom abdominal pode detectar problemas gastrointestinais. Uma biópsia do fígado pode ser necessária.

Aspartato aminotransferase (AST)

Elevações nos níveis de AST apontam danos hepáticos ou musculares. AST aumentado, junto com ALT aumentada, são fortes sugestões de danos hepáticos. AST elevado, sem elevação de ALT, indica dano muscular. A doença da vesícula biliar pode causar aumentos discretos dos níveis de AST. Exames de sangue, ultrassons e possivelmente uma biópsia do fígado são necessárias para um diagnóstico.

Fosfatase Alcalina (ALP)

Níveis aumentados de ALP são associados a crescimento ósseo, hipotireoidismo, câncer nos ossos, infecção nos ossos, doença da vesícula biliar, câncer no fígado, hepatite, falência renal crônica causada pelos níveis elevados do hormônio paratireoide, distúrbios gastrointestinais ou uso excessivo de corticosteroides ou fenobarbitais. Os maiores aumentos de ALP geralmente indicam pedras na vesícula ou câncer no fígado ou no duto biliar. Exames de sangue, um perfil químico sérico, estudos imagéticos e outros exames de diagnóstico podem distinguir entre as possibilidades.

Gama-glutamil transferase (GGT)

Resultados de GGT muito altos indicam doença da vesícula biliar ou obstrução do duto biliar. GGT e ALP altas apontam para doença no fígado. Aumentos moderados da GGT são associados com câncer no fígado. Exames de sangue, perfil químico sérico, estudos imagéticos e, possivelmente, uma biópsia do fígado são necessárias para distinguir entre as possibilidades.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível