Quais são as dez línguas mais difíceis de aprender?

Escrito por raleigh kung | Traduzido por maria itokazu
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

Entre as centenas de línguas do mundo, há uma pequena lista daquelas que são consideradas as mais difíceis de aprender. A razão pode estar nas regras gramaticais dessas línguas, no vocabulário complexo ou na escrita não fonética. Existe um consenso de que elas são, muitas vezes, mais difíceis de aprender do que tantas outras.

Outras pessoas estão lendo

Madarim

Uma pequena discrepância no traçado pode simbolizar uma diferença de sentido nos caracteres chineses. O mandarim também é falado em quatro tons que se diferenciam apenas por pequenas mudanças na altura (sons agudos ou graves) e na enunciação. Também há muitas homofonias: o mesmo fonema pode ter um significado completamente diferente dependendo do contexto.

Árabe

A gramática é um dos grandes obstáculos para os aprendizes da língua árabe. Por exemplo, o árabe usa o formato verbo-sujeito-objeto, ao invés de sujeito-verbo-objeto. Além disso, são três os níveis de pluralidade: singular, dual e plural. Na escrita manual, a maioria das letras tem quatro diferentes formas, dependendo da sua posição na palavra.

Polonês

A principal dificuldade do polonês está no seu alfabeto, que é próximo do latim com algumas diferenças. Tal como o latim, o polonês é uma linguagem de declinações, usando sete casos para definir o uso de substantivos em uma sentença. Uma medida do seu grau de dificuldade aparece entre os jovens. A maior parte das pessoas não domina o polonês antes dos 16 anos de idade.

Húngaro

Assim como em outras línguas europeias, o húngaro não faz distinção entre os gêneros. É também "aglutinativa", ou seja, depende em grande parte dos prefixos e sufixos para denotar diferentes significados. O húngaro também é uma das línguas mais carregadas de declinações: os substantivos podem ter até 238 formas, dependendo da declinação.

Finlandês

O finlandês é uma língua altamente fonológica. As regras de construção das palavras são determinadas pelo som das letras. Por exemplo, as vogais são foneticamente divididas em duas classes. A regra diz que uma palavra pode conter apenas vogais de uma mesma classe. O aluno também precisa aprender a distinguir os sons das consoantes. Por exemplo, os sons "p", "t" e "k" são consoantes de parada e seu uso obedece a regras específicas.

Russo

O vocabulário russo é particularmente difícil por causa das muitas formas pelas quais as palavras são criadas. A adição de um prefixo ou sufixo muda completamente o sentido da palavra. O russo também é notável por causa dos seus pares de consoantes: simples e palatalizadas. A distinção entre as duas é feita através da acentuação de certos sons da palavra.

Japonês

O japonês utiliza um sistema de caracteres para representar diferentes palavras. Essa língua possui cerca de 10.000 a 15.000 caracteres, sem que existam técnicas mnemônicas simples para sua memorização. Possui também dois sistemas silábicos: katakana para ênfase e hiragana para elementos gramaticais.

Estoniano

O estoniano tem 12 casos diferentes em seu sistema gramatical. Um caso significa uma inflexão da palavra com base no seu uso na sentença. Há também uma distinção para sujeitos "impessoais" -- um sujeito indeterminado. Formas específicas devem ser usadas quando um sujeito impessoal desempenha uma ação.

Islandês

O islandês é particularmente difícil porque permaneceu em grande parte arcaico. As palavras não evoluíram para um uso mais moderno. Como resultado, muitas palavras islandesas não podem ser facilmente traduzidas. Por isso, os aprendizes de islandês normalmente não têm outra alternativa senão aprender ouvindo os falantes nativos.

Alemão

O alemão tem muitas declinações, tanto para os substantivos quanto para os verbos. As declinações dos substantivos incluem quatro casos e três gêneros diferentes. Essa língua também possui infinitivos múltiplos, o que gera o potencial para criar longas cadeias de verbos no final de cada sentença. Isso acontece porque os verbos são posicionados no final das orações subordinadas e os infinitivos devem ser adicionados a esses verbos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível