Mais
×

Quais são as diferenças entre os batimentos cardíacos de um feto do sexo masculino e um feto do sexo feminino?

Atualizado em 17 abril, 2017

Não seria bom ter um teste simples para determinar, logo no início, se você deveria comprar botinhas rosas ou azuis? Antes da década de 1980, acreditava-se que se a frequência cardíaca do seu bebê fosse de 140 batimentos por minuto ou mais, você teria uma menina, enquanto que, se fosse mais lenta do que 140 batimentos por minuto, você teria um menino. Estudos modernos têm desmentido essas suposições.

A batida do coração do seu bebê não determina o sexo (pregnant woman image by Roman Barelko from Fotolia.com)

O primeiro trimestre

Médicos do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Wright State University, em Ohio, EUA, estudaram 966 mulheres grávidas em seu primeiro trimestre para determinar se existiam diferenças nas frequências cardíacas dos fetos segundo o sexo. Os resultados mostraram que a frequência cardíaca média do sexo feminino era quase exatamente a mesma que a frequência cardíaca média em fetos do sexo masculino, levando-os a concluir que tais diferenças não existem, pelo menos não durante os primeiros três meses de gravidez.

Evidências ultra-sonográficas

Terry DuBose, MS, RDMS, diretor do programa de diagnóstico médico com ultra-sonografia, da Universidade de Arkansas, relatou para a "Medical Sciences" que, em 1993, a "Austin Radiological Association" (Associação Radiológica Austin) tinha recolhido mais de 10.000 conjuntos de parâmetros fetais todos apoiando a conclusão de que o sexo não poderia ser determinado através da frequência cardíaca do feto.

As batidas do coração diferem durante o parto

Em 2008, o jornal "The New York Times" informou um estudo publicado pelo "The British Journal of Obstetrics and Gynecology", confirmando os resultados de seus antecessores, mostrando diferenças inconclusivas nos batimentos cardíacos dos fetos de 79 mulheres grávidas estudadas. Eles, no entanto, notaram que os batimentos do coração feminino são consideravelmente mais rápidos durante o parto do que o dos homens, embora as razões para isso ainda sejam desconhecidas.

bibliography-icon icon for annotation tool Cite this Article