Quais são os efeitos colaterais da remoção de um ovário?

Escrito por jonae fredericks | Traduzido por samuel silva
Quais são os efeitos colaterais da remoção de um ovário?
Ainda é possível conceber um filho, mesmo com um único ovário

Os ovários são glândulas em forma de amêndoa presentes nas mulheres e que são responsáveis ​​pela produção dos hormônios estrogênio, progesterona e testosterona. Os ovários também suportam os folículos que produzem os óvulos para o potencial de fertilização. Existem diversas razões pelas quais os dois ou apenas um dos ovários podem ser removidos. As condições de saúde, como a endometriose ou o desenvolvimento de um cisto grande, podem justificar a remoção. Um abscesso ou o risco de câncer também pode levar o médico a considerar a remoção de um ovário.

Remoção

Um ou ambos os ovários são removidos através de um procedimento cirúrgico conhecido como ooforectomia ou ovariectomia. Uma ooforectomia que remove dois ovários é conhecida como uma ooforectomia bilateral; uma única remoção dos ovários é referida como uma ooforectomia unilateral. De acordo com a Mayo Clinic, o cirurgião realiza o procedimento sob anestesia. A cirurgia pode ser tanto um processo aberto ou uma laparoscopia, dependendo da situação.

O outro ovário

A Creighton University Medical Center explica que na maioria dos casos de ooforectomia unilateral, o ovário que permanece assume as funções do ovário que foi removido. O que isso significa é que o ovário solitário produz a mesma quantidade de estrogênio que era produzido quando havia dois ovários, e também produz os óvulos durante a fertilização. Normalmente, a ovulação ocorre em lados alternados de cada mês, mas depois da ooforectomia unilateral, a ovulação ocorre no mesmo lado, em uma base mensal.

Concepção

Ainda é possível conceber um filho, mesmo com um único ovário. A Magicalia Parenting relata que, como o único ovário assume a função do ovário em falta, a ovulação que deve ocorrer para uma mulher engravidar ainda ocorre. No entanto, as complicações tais como as adesões uterinos ou o dano de Falópio (que pode desenvolver-se como um resultado da cirurgia) podem provocar uma ligeira redução do nível de fertilidade da mulher.

Análogo de GnRH/HMG

As mulheres que estão tendo dificuldade para engravidar por causa de uma lesão que ocorreu durante a remoção de um ovário, podem receber injeções de análogo de GnRH (gonadotrofina agonista do hormônio liberador) e HMG (gonadotrofina menopáusica humana). Ambos os hormônios contribuem para a indução da ovulação. De acordo com o Oxford Journals, as mulheres que têm apenas um ovário são menos sensíveis a essa forma de ovulação forçada. No entanto, um estudo realizado por Amir Lass, Moisés Paul, Raul Margara e Robert MLWinston do Institute of Obstetrics and Gynaecology, Royal Postgraduate Medical School, Hammersmith Hospital, em Londres, mostra que a taxa de mulheres que engravidam com um só ovário é a mesma que a de mulheres que têm ambos os ovários intactos.

Menopausa — um pouco mais cedo

As mulheres que tiveram um ovário removido podem experimentar a menopausa precoce. A menopausa geralmente ocorre em mulheres que têm mais de 50 anos de idade. De acordo com OBGYN.net, o único ovário geralmente não produz mais folículos do que normalmente faria. Essa redução de folículos pode levar a um cenário de menopausa precoce.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível