Quais as funções da norepinefrina?

Escrito por jacquelyn jeanty | Traduzido por vanessa arnaud
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

O corpo humano depende de uma série de substâncias para desempenhar suas funções essenciais. Neurotransmissores e hormônios são as substâncias que controlam os sistemas e processos do corpo. A norepinefrina atua tanto como neurotransmissor quanto como hormônio. Consequentemente, seu papel é indispensável para o funcionamento normal do corpo e do cérebro.

Outras pessoas estão lendo

Identificação

A norepinefrina é classificada como uma catecolamina que desempenha um papel muito importante na resposta ao estresse. A resposta de "luta ou fuga" é coordenada pela epinefrina (adrenalina) e pela norepinefrina (noradrenalina). Entretanto, a noradrenalina está mais envolvida na manutenção de funções como os batimentos cardíacos, a pressão sanguínea, a glicemia e a resposta a ameaças. A norepinefrina é secretada pelas glândulas adrenais e é produzida nas terminações nervosas do sistema autônomo simpático.

Luta ou fuga

A resposta de "luta ou fuga" existe para preparar o corpo para reagir a uma ameaça ou situação de estresse. A norepinefrina participa desse processo aumentando a glicemia, dilatando os brônquios e convertendo as gorduras corporais em ácidos graxos livres. Os batimentos cardíacos e a pressão sanguínea aumentam. A secreção de norepinefrina coordena a comunicação que ocorre nas fibras simpáticas. As terminações desse segmento do sistema nervoso autônomo liberam esse neurotransmissor. Sinais de resposta são transmitidos das terminações nervosas para outras células, que propagam os sinais até as células efetoras.

Processos cerebrais

Os efeitos da norepinefrina no cérebro envolvem áreas que regulam a atenção, o sono, o aprendizado e as emoções. Quando liberada, a norepinefrina estimula centros emocionais e cognitivos do cérebro. A produção em quantidades normais gera uma sensação de bem estar ou de euforia. A norepinefrina é sintetizada a partir da dopamina -- outro neurotransmissor -- e o aminoácido tirosina. Certos alimentos, como amêndoas, maçãs, castanhas e grãos fornecem as substâncias necessárias para a produção da norepinefrina.

Depressão

O papel estimulante da norepinefrina sobre o corpo e o cérebro depende de uma disponibilidade mínima da substância, suficiente para garantir as funções mentais e emocionais. Seu primeiro mecanismo é o de excitação. Quando níveis baixos de norepinefrina estão presentes, sintomas de depressão podem aparecer. O indivíduo pode ficar menos alerta e apresentar baixos níveis de energia. Problemas de memória e perda de interesse em atividades cotidianas também são sintomas. Uma variedade de medicamentos utilizados no tratamento de sintomas da depressão foram desenvolvidos para restaurar os níveis de dopamina e norepinefrina, recuperando o equilíbrio químico normal no cérebro.

Hiperexcitabilidade

Assim como níveis baixos de norepinefrina podem causar sintomas de depressão, níveis muito elevados podem resultar numa sensação persistente de hiperexcitabilidade. Sensações de hiperexcitabilidade podem causar ansiedade, irritabilidade e inquietação. Efeitos físicos podem se manifestar, como tensões musculares, tremores e aumento da frequência cardíaca. Quando essa condição persiste, desordens psicológicas relacionadas à ansiedade podem se desenvolver. Em casos de níveis muito elevados de norepinefrina, o indivíduo pode sofrer um ataque de pânico. Os sintomas apresentados em um ataque de pânico -- sudorese, hiperventilação, frequência cardíaca elevada e tremores -- são sintomas dos efeitos da norepinefrina no cérebro e no corpo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível