Quais são os perigos da colonoscopia?

Escrito por christine lebednik | Traduzido por fatima mesquita
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Quais são os perigos da colonoscopia?
A comunicação sobre os riscos da colonoscopia é fundamental (Michael Blann/Digital Vision/Getty Images)

A colonoscopia é um exame que faz parte do protocolo para a detecção precoce do câncer colorretal. A medicina a trata como um recurso fundamental para o processo diagnóstico e boa parte dos médicos receita de modo categórico que o exame seja feito regularmente a partir dos 50 ou 55 anos de idade. As chances de eventos adversos ocorrerem em função do exame são baixas, mas a verdade é que o procedimento envolve alguns riscos ao paciente.

A colonoscopia tem quatro etapas. A primeira é uma fase em que é preciso que a comunicação aconteça de modo claro e em mão dupla, e trata da avaliação do paciente e do médico em relação à necessidade do procedimento. Depois segue a preparação para o exame, o procedimento em si e a etapa posterior à colonoscopia. Os perigos, apesar de raros, podem se manifestar em cada uma destas fases.

Outras pessoas estão lendo

O excesso de zelo

Um fator importante de risco em relação à colonoscopia é o excesso de zelo de certos médicos, em especial quando se trata da verificação de um paciente assintomático. Alguns especialistas tratam o uso da colonoscopia em indivíduos acima dos 50 ou 55 anos como um procedimento não eletivo. Mas há estudiosos que questionam esse uso e a forte crença de parte da categoria médica em tal prática pode acabar não levando em consideração fatores importantes do histórico médico de um paciente que podem aumentar as suas chances de enfrentar problemas decorrentes do procedimento. Esse excesso de zelo pode até causar discordâncias entre dois ou mais profissionais da medicina em relação aos cuidados necessários. E isso pode criar estresse e ansiedade desnecessários para o paciente.

Uma comunicação inadequada

Talvez o mais assustador fator de risco em termos da colonoscopia, e também o que mais tende a ser um resultado direto da primeira circunstância, é que o excesso de zelo por parte do profissional pode levá-lo a não comunicar direito os riscos potenciais do procedimento em tempo hábil para que o paciente possa decidir de modo consciente se acredita que os riscos sejam aceitáveis ou não. Tal equívoco reforça a possibilidade de falta de objetividade em relação ao protocolo.

Perigos durante o processo de preparação

Antes da colonoscopia, o paciente precisa limpar completamente o seu trato intestinal. Isto requer um período prolongado de jejum combinado com o uso de laxantes. Pessoas com desequilíbrios metabólicos, como problemas de tireoide ou diabetes, podem sentir dificuldades com o jejum -- e às vezes há até perigo. Certos medicamentos também precisam ser descontinuados durante a etapa de preparação e isto pode ser outra fonte de risco. Além dos efeitos adversos da suspensão de remédios, os laxantes usados nesta fase podem causar fraqueza, enjoo, vômito, cólicas abdominais, sensação de estufamento assim como desidratação. Certos casos de desidratação, inclusive, são sérios a ponto de causarem morte.

Perigos do procedimento

A colonoscopia é um procedimento invasivo e por isso mesmo envolve riscos. Apesar de os eventos adversos deste exame serem em geral raros, eles ocorrem e alguns deles são mesmo muito sérios. Pacientes com certos históricos médicos correm um risco ainda maior. Por exemplo, há um risco alto de falha renal para quem toma inibidores da enzima de conversão da angiotensina (IECAs), que é um remédio comum contra a pressão alta.

Outros perigos são a reação aos sedativos e/ou aos narcóticos administrados (e que têm o potencial de culminar em problemas respiratórios ou cardíacos), a perfuração intestinal, a ruptura do baço, a anemia aguda, hemorragias, o derrame e a queimadura do trato gastrointestinal. Um perigo muito incomum, mas já registrado, é a transmissão de hepatite C pela esterilização inadequada dos instrumentos da colonoscopia.

A morte também é rara, mas pode ocorrer e, em geral, como resultado de uma perfuração. E há ainda o potencial de um problema com a anestesia, ou como resultado tanto de uma hemorragia quanto de um derrame, caso o exame dispare tais reações adversas.

Perigos após o procedimento

Mesmo vários dias após a colonoscopia, existe a possibilidade de uma perfuração, em geral precipitada por atividades normais de evacuação. Fraqueza, desconforto abdominal e reações atrasadas a vários dos medicamentos e produtos utilizados no procedimento também podem ocorrer.

Além disso, alguns dos remédios utilizados -- Dormire, Dormonid e Dormium -- podem induzir à amnésia do próprio procedimento no paciente. Algumas pessoas relataram problemas de memória por meses ou até mesmo anos após o exame. Outros indicam problemas de ansiedade e transtornos de humor. Embora a comunidade médica reconheça que tais medicamentos possam causar problemas de memória, um artigo publicado pelo "Hospital Soup” confirma o perigo anteriormente apontado aqui em relação à comunicação entre médico e paciente sobre os riscos da colonoscopia ao afirmar que “a maioria dos casos relatados foi de pacientes que não foram informados de modo adequado da possibilidade de que tais drogas pudessem causar problemas de memória de longa duração".

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível