Quais são os perigos do videogame para as crianças?

Escrito por pedro santos
Quais são os perigos do videogame para as crianças?

Os videogames podem influenciar negativamente as crianças?

Ryan McVay/Photodisc/Getty Images

Os videogames podem influenciar negativamente as crianças? Essa é uma controvérsia que acompanha a história dos games desde o surgimento do Atari, nos anos 1970. Nos Estados Unidos, país campeão no consumo de jogos eletrônicos, uma série de estudos de psicologia relaciona os perigos do excesso de jogos para as crianças. Em grande parte dos países, incluindo o Brasil, há uma classificação indicativa para cada game. É uma forma de controlar a influência dos jogos nos jovens. Mas a verdade é que, com a internet, muitos desses limites acabam sendo rompidos.

Outras pessoas estão lendo

Comportamento antissocial

A dependência dos games por tempo prolongado pode favorecer algum nível de comportamento antisocial. De acordo com estudos psicológicos, as crianças que passam tempo demais jogando videogame perdem parte da habilidade de socialização com outras pessoas. Isso ocorreu historicamente por conta da popularização dos jogos de um jogador (single player). Recentemente, com o crescimento dos jogos em rede (multiplayer), surgiu outra preocupação para os pais: a facilidade de pessoas com más intenções entrarem em contato com as crianças. Uma alternativa para evitar o problema é controlar o tempo de jogo dos filhos e só permitir que os pequenos joguem com pessoas conhecidas.

Agressividade

Um dos efeitos que games violentos podem provocar em crianças é o aumento da agressividade. Estudos publicados nos Estados Unidos mostram que jogos violentos são capazes de despertar sentimentos negativos nos jovens. Games de luta e tiroteio, por exemplo, promovem certo comportamento violento nos pequenos. Especialistas alertam que, quando expostos a esses tipos de jogos por tempo prolongado, os jovens passam a tratar a agressividade como fato normal. De acordo com esses estudos, videogames podem ser ainda piores do que filmes e seriados por exigirem identificação entre o jogador e o personagem do jogo.

Dificuldade de concentração

Outro ponto negativo do excesso de games está relacionado com a dificuldade de concentração. Crianças que passam muito tempo entre os jogos acabam deixando de lado tarefas escolares. Um estudo, publicado em 2004 nos Estados Unidos, mostra que jovens viciados nesses jogos são as campeões de problemas de concentração na escola. O excesso de estímulos visuais e sonoros dos games dificultariam momentos nos quais a concentração é exigida, como durante a leitura de um livro, por exemplo. Alguns psicólogos, no entanto, questionam o estudo e afirmam que os estímulos visuais podem ser utilizados para melhorar o raciocínio dos jovens.

Falta de limite entre realidade e ficção

Ryan McVay/Photodisc/Getty Images

Nos Estados Unidos, um dos argumentos utilizados contra os games está relacionado com o estímulo a transtornos e paranoias nas crianças. Uma linha de pesquisadores adota a tese de que o excesso de jogos eletrônicos ajuda a romper os limites entre realidade e ficção. Determinados tipos de games podem fazer com que crianças adotem comportamentos dos personagens na vida real. Além do comportamento agressivo, os pequenos poderiam se tornar desrespeitosos com e até violentos. Essa tese foi usada em massacres que ocorreram nos Estados Unidos, como no caso de Columbine, em 1999, quando dois estudantes adolescentes mataram 13 pessoas em uma escola.

Não deixe de ver

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível

Direitos autorais © 1999-2015 Demand Media, Inc.

O uso deste site constitui plena aceitação dos Termos de Uso e Política de privacidade de eHow. Ad Choices pt-BR

Demand Media