Quais são os sintomas psicológicos de um apaixonado?

Escrito por david ferris | Traduzido por laura louzada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Quais são os sintomas psicológicos de um apaixonado?
O amor estimula a liberação de certos compostos bioquímicos (Joe Madeira/Stockbyte/Getty Images)

Apaixonar-se é uma das experiências mais poderosas pela qual passamos, mas ela não se limita ao mundo da emoção. O amor tem vários efeitos psicológicos no corpo humano. A rapidez dos batimentos cardíacos e a euforia descritas pelos poetas românticos têm um embasamento psicológico real.

Outras pessoas estão lendo

Liberação de compostos bioquímicos

A ideia de que o amor é um remédio para todos os males não está tão longe da verdade. Ao nos apaixonarmos, nosso corpo libera compostos neuroquímicos no cérebro, incluindo dopamina, oxitocina e fenetilamina. Eles influenciam o aumento de prazer e a motivação. A adrenalina e a norepinefrina também são produzidas, levando ao aumento de batimentos cardíacos e de energia. Os exames de ressonância magnética mostram que os centros de prazer do cérebro também são ativados.

Reação sexual

A paixão leva a uma reação psicológica sexual. Há um aumento de hormônios que leva à excitação sexual. Os genitais masculinos e femininos também ficam excitados e preparados para ter relações sexuais. Além disso, os beijos transmitem a testosterona dos homens para as mulheres. A oxitocina também tem um papel importante no impacto sexual da paixão, pois ela torna a relação sexual prazerosa e aumenta a ligação entre os parceiros depois do sexo.

Rejeição amorosa

Enquanto a paixão leva à euforia e ao aumento de energia, ficar enamorado por alguém que não se interessa por você pode ser prejudicial à saúde. Nessas situações, a pessoa rejeitada sofre de ansiedade pelo grande afluxo de hormônios de estresse. Ela pode sentir-se lenta e apática com o declínio de seus níveis de energia. E seu sistema imunológico pode sofrer também.

Efeitos prejudiciais de se apaixonar

Há efeitos prejudiciais ao indivíduos que se apaixonam, como o comportamento obsessivo, intrusivo e grudento. Esse efeito se assemelha ao vício em drogas, podendo ser observado em ressonâncias magnéticas. A paixão pode ter um efeito similar ao da dependência química, em que o indivíduo deseja a presença e o afeto da pessoa amada o tempo todo. Segundo a psicóloga Dorothy Tennon, isso pode durar entre seis meses e dois anos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível