Quais são os tratamentos para aderências abdominais?

Escrito por kay wagers | Traduzido por ricardo torres iupi
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Quais são os tratamentos para aderências abdominais?
Em casos sintomáticos, a cirurgia acaba sendo a única opção terapêutica (Hoby Finn/Digital Vision/Getty Images)

A maioria das pessoas que tem aderências abdominais nunca sabe que esse tecido cicatricial está lá. Aqueles que apresentam os sintomas clássicos dessa condição muitas vezes experimentam uma dor crônica. Pelo fato de não existir um tratamento eficaz para as aderências abdominais, os médicos concentram-se na prevenção, em vez de curá-las.

Outras pessoas estão lendo

Os fatos

As aderências abdominais são faixas teciduais que se formam entre os órgãos do abdômen e o tecido que os rodeia. A adesão corresponde a uma cicatriz que se liga a um órgão, restringindo seu movimento natural dentro da cavidade abdominal. Essa condição é causada por uma lesão às estruturas, que pode ocorrer durante uma cirurgia, quando o tecido é cortado, ou como resultado de um processo inflamatório ou infeccioso. Os tratamentos incluem cirurgia e outras terapias. A maioria dos médicos tenta, em primeiro lugar, impedir que elas ocorram.

Adesiólise

Em 2009, o único tratamento direto para as aderências abdominais era a cirurgia, que destina-se a quebrá-las e aliviar a dor do paciente. O procedimento se chama adesiólise. Um cirurgião cortará cuidadosamente a adesão, rompendo a ligação que se formou entre o órgão e o tecido que o rodeia. Pelo fato delas serem propensas a reaparecerem, alguns médicos são relutantes em realizar essa técnica. Não há garantia de que o tratamento ajudará a diminuir a dor ou revelar-se eficaz durante um período de tempo significativo.

Prevenção

Pelo fato da opção cirúrgica não ser uma cura garantida, muitos médicos concentram-se em tentar impedir que elas ocorram em primeiro lugar. Essas técnicas também são usadas durante a adesiólise, tentando assim impedir que as adesões recidivem durante a cirurgia que visa retirá-las. Elas incluem a escolha da cirurgia laparoscópica, que utiliza ar e água para movimentar o tecido, em vez de manipulação manual. Também usam os produtos "Gor-Tex" ou "Seprafilm" no tecido, o que descarta a necessidade de manipulação, e fluidos para manter os tecidos do organismo úmidos e, com isso, a formação de aderências é evitada.

Outros tratamentos

Se as adesões forem causadas ​​por uma infecção ou inflamação, o tratamento da causa impedirá a formação de novas adesões. Alguns tratamentos concentram-se no alívio da dor ao invés de tratar as adesões diretamente. Essas terapias incluem massagens na área dolorosa, acupuntura e técnicas de biofeedback para a dor. Um médico também pode prescrever medicação para dor, ajudando assim a aliviar o desconforto do paciente.

Considerações finais

Muitas pessoas que têm aderências abdominais não sentem dor ou outros sintomas e não requerem tratamento. Elas devem ser monitoradas, pois esse problema pode dificultar futuras cirurgias abdominais. Existe também o risco de que uma aderência torça ou dobre, podendo obstruir os intestinos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível