Quais são os tratamentos para a obstrução da artéria carótida?

Escrito por edward j. lamb | Traduzido por ana rodrigues
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Quais são os tratamentos para a obstrução da artéria carótida?
Mudanças no estilo de vida e medicamentos podem prevenir e tratar bloqueios dos dois maiores vasos sanguíneos que fornecem sangue rico em oxigênio para o cérebro (National Heart, Lung, and Blood Institute)

Bloqueios da artéria carótida são uma das principais causas de acidente vascular cerebral. Mudanças no estilo de vida e medicamentos podem prevenir e tratar bloqueios dos dois maiores vasos sanguíneos que fornecem sangue rico em oxigênio para o cérebro. Quando os bloqueios se tornam grandes, os doentes necessitam de uma das duas cirurgias para limpar o material que está impedindo o fluxo de sangue a partir do coração e dos pulmões para o cérebro.

Outras pessoas estão lendo

Tipos de bloqueios

As artérias carótidas, as quais correm para cima de ambos os lados do pescoço, podem tornar-se bloqueadas pela acumulação de substâncias gordas de colesterol e outros ou de placas ao longo da parede das artérias. As artérias também podem ficar bloqueadas por coágulos sanguíneos que se formam nas artérias carótidas ou que se deslocam de outros lugares do corpo. O tipo de tratamento utilizado quando um bloqueio da carótida é detectado durante o teste físico ou depois de um acidente vascular cerebral depende do grau de oclusão arterial e da natureza do material que está causando o bloqueio.

Mudanças no estilo de vida

Pacientes com qualquer tipo de obstrução da artéria carótida devem tomar medidas para resolver a situação. O primeiro passo é alterar os comportamentos que levaram à formação do bloqueio. Seguir uma dieta saudável baixa em gorduras e sal, parar de fumar, reduzir ou eliminar o consumo diário de álcool e exercitar-se mais diminuirá a deposição de colesterol nos vasos sanguíneos. Fazer mais exercício físico também pode ajudar a prevenir a formação de coágulos no sangue, porque os coágulos são mais propensos a formar-se durante os períodos de inatividade prolongada.

Medicamentos

O bloqueio das artérias carótidas de menos de 50% geralmente pode ser gerenciado e reduzido com uma combinação de mudanças de estilo de vida e medicamentos. Os médicos prescrevem anticoagulantes, tais como a aspirina e varfarina, para retardar o crescimento da formação de coágulos sanguíneos e podem utilizar um anticoagulante, ou trombolítico, fármaco, tal como retaplase (Retevase, da Centocor) para dissolver um grande coágulo. Da mesma forma, medicamentos como dofetilida (Tikosyn, da Pfizer), que controla o batimento cardíaco irregular, e fondaparinux (Arixtra, da GlaxoSmithKline), que trata a trombose venosa profunda, podem desempenhar um papel no controle do bloqueio das artérias carótidas, impedindo a formação de coágulos e viajando através do corpo. Opções para baixar o colesterol e outras substâncias que podem furar a parede das artérias incluem atorvastatina (Lipitor, da Pfizer), colessevelam (Welchol, da Daiichi Sankyo), fenofibrato (por exemplo, Antara, da Oscient), gemfibrozil (por exemplo, Lopid, da Pfizer), lovastatina (por exemplo, Mevacor, da Merck), niacina (por exemplo, Niaspan, da Abbott) e simavastatin (por exemplo, Zocor, da Merck).

Endarterectomia

Uma operação denominada endarterectomia remove grandes placas a partir da artéria carótida. Durante o procedimento, um cirurgião abre os vasos sanguíneos bloqueados e fisicamente raspa o material de colesterol e outros que não deveriam estar na artéria carótida. A endarterectomia tem uma alta taxa de sucesso em termos de reabertura de artérias, mas requer anestesia completa e hospitalização por um ou dois dias. A recuperação total de uma endarterectomia carotídea pode demorar um mês, e o procedimento traz pequenos riscos de hemorragia no cérebro, lesão cerebral, convulsões, acidente vascular cerebral e inchaço ao redor das vias respiratórias (faringe e laringe).

Angioplastia e implante de stent

A angioplastia e o implante de stent são alternativas para os pacientes cujo estado de saúde atual, cirurgias anteriores ou a localização do bloqueio os tornam candidatos ruins para uma endarterectomia. Os doentes permanecem acordados durante este procedimento alternativo, no qual é inserido um cateter na artéria bloqueada pelo cirurgião, infla-se um balão na extremidade do cateter para achatar a placa e deixa-se para trás um stent ao fazer a retirada do cateter. O stent é um pequeno cilindro de malha que mantém a artéria aberta. Os pacientes geralmente ficam apenas uma noite no hospital depois de uma angioplastia e de um implante de stent e podem retomar suas atividades normais quase imediatamente. Como uma endarterectomia, a angioplastia e o implante de stent trazem um pequeno risco de lesão cerebral.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível