Queda de cabelo e baixa testosterona

Escrito por matthew larson | Traduzido por marcelo couto
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Queda de cabelo e baixa testosterona
Queda de cabelo é associada com baixa testosterona, mas é causada por altos níves de DHT (Sean Murphy/Lifesize/Getty Images)

Existem muitos motivos que causam a queda de cabelo, entretanto, o único associado a baixos níveis de testosterona é conhecido como alopecia androgenética. A alopecia androgenética é uma desordem hereditária caracterizada pelo afinamento do cabelo e pode acontecer em homens e mulheres. Embora essa síndrome seja, tecnicamente, baixos níveis de testosterona, o que acontece de fato é que o corpo está experienciando altos níveis de andrógenos através de um mecanismo chamado diidrotestosterona (DHT), um metabólito da testosterona com efeitos androgênicos potentes.

Outras pessoas estão lendo

Fisiologia do cabelo

Em um folículo de cabelo saudável, a circulação de DHT se liga aos receptores androgênicos. A DHT tem um efeito potente sobre esses receptores, inibindo diretamente o crescimento do folículo capilar. Isso acontece em indivíduos normais, permitindo o controle do ciclo de crescimento do cabelo.

Patogênese da queda de cabelo

A testosterona em circulação é convertida perifericamente em DHT pela enzima 5-alfa-redutase. Pacientes com altos níveis dessa enzima desenvolvem um alto nível de DHT e baixo nível de testosterona. A queda patológica de cabelo acontece quando o indivíduo atinge um determinado nível de DHT no qual os efeitos inibidores superam as forças estimulantes do folículo capilar. Portanto, embora o baixo nível de testosterona seja associado à perda de cabelo, o mecanismo patológico acontece por causa dos altos níveis de DHT. Isso resulta em fios cada vez menores e menos pigmentados, o que leva ao afinamento e queda do cabelo.

Apresentação e progressão

De acordo com o artigo "Diagnósticos e Tratamentos atuais na Otorrinolaringologia", a alopecia androgenética se caracteriza primeiramente pela "recessão bitemporal da linha do cabelo seguida do afinamento do vértice". Essa progressão envolve o afinamento do vértice e a formação de uma "careca", que pode aumentar e se juntar a recessão frontal da linha do cabelo. A queda de cabelo feminina normalmente apresenta afinamento difuso do couro cabeludo frontal e parietal, apesar de muitas vezes uma borda frontal ser mantida.

Visão especializada

Pesquisadores do Departamento de Dermatologia do Hospital St. Vincent em Melbourne analisaram os avanços no tratamento da alopecia androgenética. A terapia tem abordado o tratamento dessa doença com base no conhecimento da sua patogênese. No artigo, o Dr. Rathnayake conclui que os inibidores atacam a 5-alfa-redutase, diminuindo a super produção de DHT nos pacientes. Até novembro de 2010 estas drogas estavam na fase III de testes.

Prevenção e tratamento

Os tratamentos de última geração para queda de cabelo relacionada a baixos níveis de testosterona incluem minoxidil tópico e finasterida oral, que são aprovados pela ANVISA. Embora bastante eficazes na redução do progresso da doença, esses tratamentos permitem somente um crescimento parcial do cabelo que já foi perdido.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível