Reações ao kombu

Escrito por jennifer alyson | Traduzido por ludmila cavalcanti
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Reações ao kombu
Comer kombu, ou alga marinha, causa efeitos colaterais negativos e positivos. (Jupiterimages/Comstock/Getty Images)

Kombu é o nome coletivo para a espécie Laminaria de algas marrons. Também chamada de alga marinha, o kombu é encontrado principalmente no Atlântico Norte e Pacífico. Rico em minerais, ele que contém quantidades elevadas de iodo, cálcio, potássio e ferro, pode causar uma grande variedade de reações e efeitos colaterais, tanto positivos como negativos.

Outras pessoas estão lendo

Função da tireóide

O mineral primário do kombu é o iodo, uma substância química natural que não é metálica. Os médicos prescrevem medicamentos à base de iodo para aumentar os hormônios da tireoide em pessoas com mau funcionamento das glândulas. Em pessoas saudáveis​​, o iodo em excesso pode estimular demais a tireoide, resultando em nervosismo, palpitações, insônia e irritabilidade. Um estudo japonês descobriu que comer kombu diariamente durante dois a três meses aumentou substancialmente os níveis de tireoide, produzindo mais hormônios do que o normal em adultos. Os níveis hormonais voltaram a taxas saudáveis ​​entre uma semana a um mês após a interrupção da ingestão de kombu. Alguns cozinheiros japoneses recomendam deixar as algas de molho na água por 30 minutos para remover o iodo. Pessoas com alergias a frutos do mar são especialmente sensíveis ao excesso de iodo.

Sensibilidade ao MSG

O kombu contém o aminoácido glutamato, o ingrediente chave no conservante glutamato monossódico. Para pessoas sensíveis ao MSG, o kombu podem causar reações, incluindo dores de cabeça, náuseas, batimentos cardíacos irregulares e dificuldade para respirar. Outros sintomas incluem dormência, formigamento ou uma sensação de queimação no pescoço, braços e peito. Em casos extremos, anafilaxia ou parada cardíaca e respiratória súbitas relacionadas a uma reação alérgica.

Gravidez

Os profissionais de saúde asiáticos usam algumas variedades de kombu para dilatar o colo do útero ou induzir o parto; o kombu também pode afetar a freqüência cardíaca fetal. Os pesquisadores não têm acompanhado de perto o efeito do kombu sobre as mulheres e fetos durante o início da gravidez, por isso a maioria dos médicos aconselham as mulheres grávidas a evitar o consumo por medida de segurança.

Reações terapêuticas

As propriedades minerais do kombu o torna um complemento alimentar saudável para as pessoas com função tireoidiana normal e sem sensibilidade a frutos do mar; seu ferro pode ajudar na produção de hemoglobina. Em pessoas com baixa função da tireoide, o kombu oferece uma fonte natural de iodo. O potássio do kombu pode aliviar sintomas da fibromialgia e fadiga. As algas marinhas também são uma boa fonte do hormônio da melatonina, indutor de sono; a algina no kombu é concentrada em laxantes expansores do volume fecal, e comer uma quantidade menor pode levar à regularidade. O kombu também tem sido associado à atividade anticoagulante e pressão arterial mais baixa, as algas podem até mesmo ajudar a tratar a superexposição à radioatividade.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível