Retorno sobre os investimentos x retorno sobre o patrimônio

Escrito por jay way | Traduzido por marcela machado
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Retorno sobre os investimentos x retorno sobre o patrimônio
Cálculo e compreensão sobre o retorno sobre o investimento e o retorno sobre o patrimônio (profit with mobile phone image by Kirubeshwaran from Fotolia.com)

Os retornos sobre os investimentos (ROI) e os retornos sobre o patrimônio (ROE) são modos de medir a eficácia da gerência e fazem parte de um sistema de medidas que também inclui margens de lucro como um indicador da rentabilidade e índice preço/lucro como um indicador da solidez financeira. Sem um conjunto de métricas de avaliação, o desempenho financeiro de uma empresa não pode ser completamente examinado. O ROI e o ROE calculam a taxa de retornos sobre um investimento específico e o capital social, respectivamente, avaliando a eficácia dos recursos financeiros utilizados.

Outras pessoas estão lendo

Retorno sobre os investimentos

O ROI é expresso simplesmente como uma relação entre renda / investimento. Por exemplo, se uma casa foi comprada por RS 200.000 e, um ano mais tarde, vendida por R$ 220.000, o retorno sobre o investimento pode ser calculado como RS 20.000 / RS 200.000 = 10%. No entanto, se houve uma entrada de R$ 40.000, o ROI do dinheiro do proprietário da casa é calculado como R$ 20.000 / R$ 40.000 = 50 por cento. Portanto, o resultado depende de qual investimento está sendo medido. Não existe uma única definição para qual tipo de investimento deve ser utilizado no cálculo. A Investopedia explica o ROI em termos amplos, descrevendo-o como a taxa de retorno sobre qualquer investimento que o usuário pretende medir. Nos negócios, os investimentos podem se referir a ativos fixos, como máquinas e prédios, financiados em uma dívida de longo prazo, mais o patrimônio. A seção de enciclopédia da revista Entrepreneur também define o ROI de várias maneiras, mas inclui especificamente o retorno sobre os investimentos de longo prazo.

Retorno sobre o patrimônio

O ROE é definido como a renda / patrimônio dos acionistas. Por exemplo, se os acionistas contribuíram com R$ 100.000 para um negócio e a renda foi de R$ 20.000 no ano, o ROE é calculado como R$ 20.000 / R$ 100.000 = 20 por cento. Mas essa fórmula não diz se houve o envolvimento de dívidas para a geração da renda de R$ 20.000. Assim, outra alternativa é decompor a fórmula original e expressá-la como o retorno sobre os ativos fixos dividido pelo multiplicador do patrimônio, multiplicado pelo total de ativos / patrimônio dos acionistas. Por exemplo, se houve o empréstimo de R$ 40.000 de fundos para utilização na operação, o ROE pode ser calculado como R$ 20.000 / R$ 140.000 * R$ 140.000 / R$ 100.000 = 20%. O novo modelo, conhecido como a fórmula DuPont, mostra como o ROE teria sido inferior sem a base de ativos que foi aumentada pelo empréstimo. Com a utilização de informações financeiras, até mesmo uma empresa com uma má gerência pode ter sua renda ampliada, diz a Russel Investments, empresa proprietária da famosa família de índices Russel Indexes.

A flexibilidade do ROI

Devido à versatilidade do modo como um investimento pode se definido, com o ROI, os lucros podem ser medidos em relação a qualquer indicador, desde algumas despesas simples com vendas a muitos investimentos complexos em ativos fixos. A flexibilidade do ROI o torna adequado para medir qualquer aspecto do desempenho de um negócio, ao passo que o ROE é utilizado somente para medir o desempenho do patrimônio. Quando um investimento inclui ativos correntes e de longo prazo, o ROI se torna o retorno sobre os ativos, o chamado ROA, outra medida bastante comum da eficácia dos investimentos de um negócio. Se um investimento medido tiver sido feito por meio da utilização somente do capital social dos acionistas, o ROI se torna em ROE.

A confiabilidade do ROE

O financista Warren Buffett favorece a utilização do ROE sobre qualquer outra medida de taxa de retorno, incluindo a maioria dos índices de lucro por ação, explicou Robert Hagstrom em seu livro lançado em 2001: "Os elementos essenciais segundo Buffet". Quando as ações ou investimentos são utilizados como o denominador comum para o cálculo do ROI -- já que o número de ações pode permanecer constante e os ativos podem ser reduzidos após o líquido das depreciações --, é possível que um pequeno aumento dos rendimentos possa produzir um maior aumento do ROI, distorcendo o desempenho financeiro real. Se o patrimônio for utilizado como a linha de base, já que as rendas obtidas no ano são adicionadas à base patrimonial -- que se expande ao longo do tempo --, qualquer aumento do ROE resulta somente dos aumentos reais dos rendimentos, tornando o ROE uma medida mais confiável.

Possível manipulação

Existe uma possível desvantagem da flexibilidade do ROI. Quando a medição pode ser expressa de várias maneiras, um usuário poderá manipulá-lo com facilidade para adequá-lo aos seus objetivos. Sempre que receber dados desse tipo, o leitor precisa se certificar de quais são os registros inseridos, alerta a Investopedia. Quanto ao ROE, embora ele seja uma medição precisa, esteja ciente da situação de dívidas de uma empresa. Sem as informações de apoio sobre a utilização das informações financeiras, os acionistas podem ser pegos desprevenidos se o ROE cair repentinamente, à medida que as dívidas vencerem e forem pagas, reduzindo a base do total de ativos e diminuindo a capacidade de obtenção de renda.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível