Como reverter a resistência à leptina

Escrito por evander blimpington | Traduzido por kelly isayama
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como reverter a resistência à leptina
A resistência à leptina está ligada à obesidade e à diabetes (overweight woman image by Inger Anne Hulbækdal from Fotolia.com)

A leptina é um hormônio que está intimamente ligado à insulina e é responsável por transmitir sinais que dizem quando a pessoa está cheia, queimar gorduras para a obtenção de energia e reduzir ou eliminar lipídios armazenados. Mas, de acordo com o Dr. Ron Rosedale, quando você come excesso de alimentos que contêm carboidratos, especialmente altas concentrações de xarope de frutose de milho, grãos refinados (brancos) e pão, o corpo libera muita leptina na corrente sanguínea. Essa exposição aumentada inibe a habilidade do corpo de entender as mensagens da leptina e leva à obesidade e à diabetes. O único modo de reverter a resistência a esse hormônio, segundo Rosedale, é através de uma dieta apropriada.

Nível de dificuldade:
Moderado

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • Carnes gordurosas
  • Laticínios gordurosos
  • Ovos
  • Produtos com grãos integrais
  • Frutas
  • Verduras
  • Castanhas
  • Coco
  • Abacates
  • Azeite de oliva
  • Mel puro

Lista completaMinimizar

Instruções

  1. 1

    Elimine açúcares processados e produtos de grãos refinados da dieta e substitua-os por frutas, mel puro e quantidades mínimas (ou até mesmo nada) de produtos de grãos integrais. Açúcares processados, incluindo xarope de frutose de milho, bem como produtos contendo grãos refinados, de acordo com o Dr. Joseph Mercola, são os principais responsáveis pela resistência epidêmica à insulina e à leptina. Esses alimentos desencadeiam a liberação de uma série de hormônios, incluindo a leptina, devido à natureza refinada deles, fazendo com que o organismo perca a sensibilidade à leptina conforme o tempo passa. Algumas frutas cruas, mel puro e produtos integrais não se comportam dessa forma e não contribuem para a resistência à leptina.

  2. 2

    Diminua o amido em sua dieta. Até mesmo produtos integrais, batatas e outros amidos aparentemente saudáveis não são necessariamente ideais para o corpo que, de acordo com a Weston A. Price Foundation, funciona melhor quando a gordura é a sua principal fonte de energia. Amidos e frutas devem ser consumidos de acordo com o nível de atividade da pessoa ao longo do dia. Por exemplo, o Dr. Thomas Cowan diz que uma pessoa comum precisa de apenas 30 a 70 gramas de carboidratos por dia, enquanto um atleta de resistência precisa de até 300 gramas. Uma banana fornece aproximadamente 20 a 24 gramas de carboidratos, um pedaço de pão comum fornece de 12 a 20 e uma batata média fornece 37 gramas.

  3. 3

    Coma bastante proteína vinda de fontes corretas. Coma carne vermelha, bem como ovos e leite, especialmente de fontes orgânicas. O melhor tipo de proteína a ser consumida para a perda de peso é a proteína crua (como leite não pasteurizado, bife tartar e sushi). Se for comer proteína cozida, não coma muita.

  4. 4

    Coma o tanto de gorduras saudáveis que você quiser. De acordo com o nutricionista Dr. Aajonus Vonderplanitz, óleos vegetais também são parcialmente responsáveis pela obesidade epidêmica. E, segundo Cowan, todas as gorduras hidrogenadas (que incluem óleo de soja, de canola e óleo de sementes), quando usadas como base para a construção e a manutenção do corpo, e mais especificamente do pâncreas, podem resultar em problemas de saúde relacionados à resistência à leptina e à insulina (incluindo o diabetes). As gorduras ideais para ingerir são a manteiga, creme, banha de porco, gorduras de carne, óleo de fígado de bacalhau, produtos de coco, abacate e azeite de oliva. Gorduras orgânicas e cruas são sempre melhores.

  5. 5

    Coma com mais frequência e até a saciação. De acordo com Matt Stone da 180 Degree Health, comer em excesso os alimentos adequados na verdade equilibra a insulina e hormônios relacionados, enquanto comer menos comida e com menor frequência resulta em níveis instáveis de hormônios que você está tentando evitar. Muitas pessoas sob a orientação de Stone equilibraram a glicemia com apenas um mês de ingestão excessiva de alimentos adequados.

Dicas & Advertências

  • Mel puro não age como o mel processado/aquecido, de acordo com Vonderplanitz. Ao invés disso, o mel puro age como um anti-nutriente ao reverter os efeitos de anos de ingestão de açúcares processados. Ele também fornece uma substância similar à insulina que ajuda o corpo a processar o açúcar.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível