A Revolução Francesa e o Período Romântico

Escrito por melissa j. bell | Traduzido por camila stradiotti
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A Revolução Francesa e o Período Romântico
"Liberdade, igualdade e fraternidade" (French Flag image by Andrew Breeden from Fotolia.com)

O Período Romântico, que ocorreu entre 1780 e 1850, surgiu no meio de uma grande era de revolução. A primeira onda de romantismo, uma escola de pensamento que caracterizou o período, foi fortemente influenciada pelo espírito da revolução e pelo ideal de "liberdade, igualdade e fraternidade". Com a decepção tanto em relação ao regime de terror da Revolução Francesa quanto a Napoleão Bonaparte, o romantismo voltou-se a uma crítica ao imperialismo, à lógica e ao materialismo artificial da sociedade industrial.

Outras pessoas estão lendo

História

Embora a ideia da Revolução Francesa tenha influenciado o início do movimento Romântico, a sua realidade pôs os Românticos contra o regime. Conflitos entre facções políticas e as falhas do governo revolucionário causaram um período de excessiva violência conhecido como "o terror", no qual a justiça inflexível de Robespierre oprimiu e executou em massa suspeitos de serem "inimigos do povo". Cerca de 40.000 pessoas foram mortas, e muitos camponeses sofreram falsas acusações sobre suas próprias ideias, moral e opiniões. Após a queda de Robespierre, em 1794, o estado de guerra entre as facções não melhorou, e resultou em uma nova rebelião que permitiu a ascensão do ex-general revolucionário Napoleão Bonaparte a chefe de Estado, em 1799. Suas excursões militares fora da França continuaram e a expansão da França resultou em tentativas de assimilar e esmagar culturas existentes.

A Revolução Francesa e o Período Romântico
Soldado francês (french soldier image by Luisafer from Fotolia.com)

Significado

Os Românticos do período revolucionário imputaram a origem de todas as ideias que eles não gostavam ao pensamento iluminista, o qual colocou a razão como o fator comum unindo a humanidade, promovendo a lógica e a ciência sobre o religioso e místico. Nenhum dos movimentos respeitou seus antecessores: os partidários do Iluminismo denunciaram a sociedade baseada na Igreja, da mesma forma como os Românticos denunciariam a sua sociedade baseada na razão. A perseguição aos religiosos e a promoção da razão no regime de terror de Robespierre relembraram a revolução. O Romantismo floresceu verdadeiramente quando teve um inimigo a enfrentar.

A Revolução Francesa e o Período Romântico
Os Românticos (ideal model.. image by Saskia Massink from Fotolia.com)

Características

Enquanto que os pré-Românticos anteriores à Revolução Francesa apoiaram as ideias de mudança política e social, os Românticos dos anos revolucionários formaram uma linha dura contra a onda democrática que levou ao imperialismo francês. Ao invés de focar nos aspectos comuns do homem, os Românticos celebravam a diversidade do indivíduo e um retorno ao natural e místico. Em princípio uma tentativa de escapar da crueldade da realidade, o foco na natureza e no espírito do homem tornou-se uma forma não-prática para descrever e pensar sobre as questões sociais, econômicas e políticas. A ideia de uma verdade fora da razão e dos sentidos físicos--de um espírito humano--foi a base de apoio do nacionalismo, ou o espírito cultural coletivo. Enquanto Napoleão trabalhava para ampliar o império francês e difundir a cultura francesa, os Românticos colocavam o valor no espírito individual de uma nação, expresso através da língua e da cultura, ao invés da imposição de costumes por uma entidade estrangeira, como faziam os franceses.

Tipos

No reino criativo, o Romantismo surgiu como uma celebração da emoção, medievalismo, tradição popular e os ideais clássicos. Elementos do romantismo podem ser encontrados na arte, na literatura e na música da época, bem como nos escritos políticos ou filosóficos. Na literatura, o romantismo é frequentemente associado a William Wadsworth e Samuel Taylor Coleridge, poetas que estavam envolvidos em ideias utópicas pós-revolucionárias e valorizaram o uso da língua comum na escrita. Lord Byron, Percy Shelley, Mary Shelley e John Keats também estão associados com o Romantismo e a ascensão do romance gótico. Na música, Beethoven foi visto como o ideal, enquanto a arte foi voltada para os estilos heroicos de William Blake, John Constable e J.M.W. Turner.

A Revolução Francesa e o Período Romântico
Beethoven (beethoven image by Lennartz from Fotolia.com)

Efeitos

Por volta de 1820, uma nova geração de Românticos voltaram suas críticas para a onda de industrialização e a vida da cidade. O século 19 no Ocidente é caracterizado pelos intensos conflitos sociais e pela ganância generalizada, o que não passou despercebido pelo movimento Romântico. O pensamento iluminista foi visto como frio, insensível e mecânico, assim como a industrialização do trabalho. O materialismo e a ganância industrial pareciam se sobrepôr à preocupação social e outros valores apreciados pelos Românticos. A burguesia foi fortemente criticada por sua aparente falta de moralidade e bom gosto. Nos anos após Napoleão, os Românticos se esforçaram para criar um novo sistema social que substituísse o que eles viam como um velho modelo social. A livre troca de ideias e a arte permitiram a ascensão dos socialistas utópicos e outros críticos que estavam prontos para trabalhar em direção a um futuro melhor.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível