Roupas do período do Renascimento europeu

Escrito por linda donahue | Traduzido por leticia vitória
Roupas do período do Renascimento europeu
As roupas usadas durante o Renascimento europeu variavam, dependendo do gênero e da posição social (Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images)

Como é realidade atualmente, as roupas usadas durante o Renascimento europeu variavam, dependendo do gênero e da posição social. Os ricos sempre puderam comprar roupas mais caras e decoradas do que as classes inferiores. Os tecidos usados também variavam de acordo com o status e a riqueza. As roupas do Renascimento geralmente eram feitas em pedaços e camadas, especialmente nas roupas usadas pela nobreza.

Roupas masculinas

A parte mais notável da moda masculina era a braguilha, uma bolsa de tecido (às vezes acolchoada) para cobrir a genitália masculina. A parte mais cara do vestuário de um homem era seu gibão (ou jubão). Era justo e usado por cima de uma camisa ou colete. Enquanto homens ricos tinham gibões feitos de brocado, cetim, tafetá e veludo, os pobres usavam gibões de lona, fustão ou couro. As mangas eram uma parte separada do vestuário masculino, preso ao gibão. A maioria das mangas tinha babados ou era bufante. Para cobrir as pernas, os homens usavam calças justas e calções, o que era preso ao gibão ou ao colete.

Vestuário feminino

O equivalente ao gibão para a mulher era o corpete, que tinha duas partes: o peitilho e o próprio corpete, que se juntavam com ganchos e cordas.

O peitilho era muito como um espartilho, duro por ser de osso ou pedra. A roupa feminina era um vestido usado aberto na frente. Por baixo, se usava uma bata, que poderia ter mangas presas ou que poderiam ser trocadas, e uma túnica ou uma saia. Mas, tipicamente as mangas eram separadas e presas ao corpete. Como as mangas masculinas, as mangas das mulheres tinham babados ou eram bufantes. As mulheres também poderiam usar uma manga por baixo, para dar mais camadas. A roupa de baixo era uma camisola, geralmente de linho. Uma estrutura de arcos, chamada de crinolina, foi usada de 1545 até os anos 1620.

Roupas infantis

As crianças eram enroladas em lençóis ou enfaixadas nos primeiros quatro meses. Depois, seus braços eram liberados, mas não suas pernas. Até os 4 ou 5 anos de idade, todas as crianças, garotos e garotas se vestiam de forma parecida com roupas longas, com aventais, babadores e bonés. Crianças mais velhas se vestiam como os adultos, como em versões em miniatura.