Como salvar a vida de um filhote de gato órfão quando ele não quer comer

Escrito por seth zawila | Traduzido por julia palma ramôa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como salvar a vida de um filhote de gato órfão quando ele não quer comer
Os problemas alimentares de filhotes órfãos vem do estresse por terem sido separados da mãe (Martin Poole/Digital Vision/Getty Images)

Gatos órfãos normalmente passam por choque e estresse quando são separados de sua mãe, e como resultado eles se negam a comer e costumam ter problemas comportamentais. Esses problemas demandam cuidados imediatos de um veterinário para a prescrição de medicamentos anti-estresse. Contudo, antes de visitar o veterinário, é possível ajudar na alimentação do gatinho dando a ração na boca.

Nível de dificuldade:
Moderadamente fácil

Outras pessoas estão lendo

O que você precisa?

  • Siringa plástica
  • Mingau orgânico integral
  • Toalha

Lista completaMinimizar

Instruções

  1. 1

    Coloque o filhote no seu colo, em cima da toalha. Delicadamente, faça carinho em seu pelo por 5 minutos ou até o filhote começar a dobrar suas garras ou ronronar. Você estará produzindo um momento acolhedor para seu filhote órfão ao recriar o ambiente materno.

  2. 2

    Abasteça a siringa com o mingau e tente colocá-la na boca do filhote. Se conseguir, simplesmente injete o líquido na boca do filhote, segurando suavemente a cabeça dele para cima. Após algumas inserções da siringa, seu filhote começará a associar a siringa com o mingau e será muito mais fácil de mantê-lo imóvel durante o processo. Se seu filhote continuar resistente, coloque gentilmente suas mãos no maxilar inferior e pressione para baixo com seu dedão. Isso forçará o filhote a abrir a boca — mas não sem um miado ou resmungo. Apesar do miado, alimentar o filhote antes da visita ao veterinário é fundamental para a sobrevivência dele por estar em fase de crescimento.

  3. 3

    Acaricie o filhote suavemente após ele ter consumido um copo do mingau. Acariciar o filhote após o processo de alimentação é essencial para garantir que os níveis de estresse permaneçam os mais baixos possíveis até o dia seguinte da visita ao veterinário.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível