O que é sangue periférico?

Escrito por naima manal | Traduzido por marcelo couto
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que é sangue periférico?
Sangue periférico é o sangue circula no corpo (Blood cells image by patrimonio designs from Fotolia.com)

Sangue periférico é o sangue que flui e circula no corpo. É composto por eritrócitos, leucócitos e trombócitos. Essas células sanguíneas ficam suspensas no plasma do sangue, através do qual circulam pelo corpo. Esse tipo de sangue é diferente do que circula no fígado, no baço, na medula óssea e no sistema linfático, pois essas regiões possuem seu próprio sangue especializado.

Outras pessoas estão lendo

Identificação

O sangue periférico carrega nutrientes para todos os órgãos e sistemas do organismo, além de possuir um papel importante na excreção, em que leva os resíduos celulares das células para o sistema excretor. Ele também é um componente importante na imunidade geral do organismo, pois o fluxo de sangue pode remover ou prevenir que doenças se instalem em áreas diferentes do corpo. A imunidade também é reforçada pelo sangue periférico, pois este carrega os mecanismos de defesa para os locais de infecção ou doença. Além disso, ele também pode transportar uma quantidade maior de água e oxigênio, após ingeridos, o que ajuda a purificar ainda mais o corpo.

Tipos

Eritrócitos são as células vermelhas presentes no sangue periférico. Leucócitos são as células brancas que, além de serem encontradas no sangue periférico, estão presentes no sistema linfático. Existem duas categorias de leucócitos, que são os granulócitos e os agranulócitos. Os granulócitos são os eosinófilos, basófilos e neutrófilos. Os agranulócitos são os monócitos, linfócitos e macrófagos. Já os trombócitos são as plaquetas do sangue periférico. O plasma sanguíneo é o meio do sangue que permite que seus componentes fluam pelo corpo. É formado por cerca de 90% de água e contém glicose, proteínas que são dissolvidas, incluindo fibrinogênio, íons minerais, fatores de coagulação, dióxido de carbono, e vários tipos de hormônios.

Funções

Os eritrócitos possuem ferro, que se liga ao oxigênio e o transportam para todo o organismo. O seu papel na imunidade é o de se quebrar na presença de patógenos para destruí-los juntamente com os radicais livres que as células quebradas da doença liberam.

Os leucócitos são responsáveis por fornecer imunidade contra doenças e agentes externos. Os granulócitos - eosinófilos, basófilos e neutrófilos - combatem fungos, bactérias e parasitas, além de serem as células responsáveis pela resposta a uma reação alérgica. Os agranulócitos - monócitos, linfócitos e macrófagos - se diferenciam em mais macrófagos, células de ataque B, T e NK (matador natural, em inglês), e também realizam a fagocitose de materiais estranhos, respectivamente.

O plasma sanguíneo funciona como um meio de transporte para todos os elementos do sangue periférico. O seu dióxido de carbono permite o transporte da excreção para fora do corpo.

Benefícios

O sangue periférico possui um papel importante na saúde do ser humano. Ter o sangue saudável e seus elementos aumenta a qualidade de vida de uma pessoa, pois ele é responsável pela reposição de todos aspectos do organismo, desde a ingestão de nutrientes até a defesa contra doenças.

História

Os benefícios complexos do sangue periférico o tornaram um tratamento médico ideal. As transfusões e os bancos de sangue existem para fornecer a restauração imediata da circulação para quem perdeu sangue ou possui alguma forma de anemia ou deficiência sanguínea.

As transfusões começaram a ser feitas a partir do século 15, mas a primeira transfusão feita com sucesso foi registrada no século 19, realizada pelo Dr. James Blundell em uma mulher que sofria de hemorragia pós-parto, em 1818.

Outros avanços no estudo do sangue periférico ocorreram, nos quais foram encontrados os diferentes tipos sanguíneos em 1901 por Karl Landsteiner, na Áustria. Antes disso, muitas pessoas morriam ao receber o tipo errado de sangue, o que causava a coagulação.

Os estudos do sangue periférico, eventualmente, se estenderam para os outros elementos dele, e a sua separação e isolamento para vários tratamentos médicos. Deficiências específicas do sangue são capazes de serem encontradas através da transfusão isolada de elementos do sangue, como plaquetas ou outras modalidades de tratamento.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível