O que é acetato miristato de forbol

Escrito por stephanie chandler | Traduzido por jose airton almeida neto
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que é acetato miristato de forbol
Croton plant (croton image by Amjad Shihab from Fotolia.com)

O acetato miristato de forbol é um composto biologicamente ativo derivado de uma planta. Estudos demonstram que esse composto pode ser eficaz no tratamento de uma série de problemas de saúde. O óleos das sementes dessas plantas têm sido utilizados por herboristas no tratamento da leucemia na Ásia. Os possíveis benefícios têm levado os cientistas a pesquisar o composto e os seus mecanismos de sua atividade.

Outras pessoas estão lendo

Estrutura

O acetato miristato de forbol (PMA) também é conhecido como Acetato de Tetradecanoilforbol (TPA). Esse composto é um diéster (composto químico que contém dois grupos funcionais do tipo éster) ou forbol (composto orgânico derivado de plantas).

Funções

Em geral, os forbois são importantes do ponto de vista biológico por serem ativadores da Proteína Quinase C, uma enzima que controla o funcionamento das demais proteínas. Essa propriedade também dá ao forbol a capacidade de agir como promotor de tumores, intensificando os efeitos indutores de câncer das outras substâncias.

Fontes

O PMA é derivado do óleo de sementes do Croton, conhecido cientificamente por Croton tiglium. Nativa do sudeste da Ásia, essa planta tem sido utilizada por homeopatas e herbalistas por anos. Essa planta causa irritações na pele similares às da hera venenosa, o que tem levado os cientistas a pesquisarem a planta e isolar os compostos que possam ser biologicamente ativos.

Pesquisa

O PMA é utilizado na pesquisa médica em vários modelos de carcinogênese, que corresponde à mutação das células saudáveis. Um laboratório de pesquisa revelou o seguinte sobre o PMA: ele pode mimetizar o processo de fagocitose, um processo de "alimentação" da célula, quando esta ingere micro-organismos e outros resíduos. Esse fator é importante na defesa contra infecções. O PMA pode alterar a membrana de uma célula, aumentando a sua permeabilidade. O PMA pode estimular a formação de oxigênio nas células. O PMA ativa a proteína quinase C, que por sua vez pode induzir a formação de anticorpos.

Possíveis utilizações em tratamentos

As pesquisas sobre o PMA ainda estão caminhando. Os resultados dos estudos realizados, como os de 2009, alegam que a PMA desempenha um papel importante no tratamento de uma série de doenças, incluindo a leucemia. Esses estudos mais recentes estão em uma fase importante que pode levar ao teste desse composto em humanos. Com tantas pessoas no mundo sofrendo por conta do câncer, uma novo tratamento biológico seria um alívio muito bem-vindo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível