Símbolos da Revolução Francesa

Escrito por james withers | Traduzido por rita pacheco
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Símbolos da Revolução Francesa
França (FRANCE image by Marie-Thérèse GUIHAL from Fotolia.com)

A Revolução Francesa anunciava mudanças tão drásticas em pensamentos e políticas que muitos símbolos foram empregados para promover a consciência do seu conceito principal: "Liberdade, Igualdade e Fraternidade". Sendo esses símbolos elementos da vida dos cidadãos da Revolução, alguns se tornaram apenas curiosidades, enquanto outros foram fixados na cultura atual.

Outras pessoas estão lendo

Tipos

Os símbolos têm tipos variados, sendo tangíveis e intangíveis. Por exemplo, o Marseillaise (hino nacional francês) era um símbolo tangível potente da Revolução Francesa e possui esse nome devido ao fato das unidades da Guarda Nacional de Marseilles ter favorecido como o hino do exército. Ironicamente, no mesmo dia que foi escrito, em 25 de abril de 1792, um símbolo tangível da revolução também foi colocado em uso em Paris quando a guilhotina foi usada para cortar a cabeça de um cidadão francês.

Período histórico

O tempo foi drasticamente reexaminado durante a Revolução Francesa. Revolucionários estavam tão cansados ​​com o "status quo" que decidiram mudar o nome dos meses do ano quando ganharam poder. Enquanto os doze meses ainda existiam, seus nomes foram alterados para palavras como "Frimaire" (que significa "Geada") ou "thermidore" (que significado "calor"). Além disso, os dias foram encolhidos para conter 1000 minutos, e uma semana foi estendida para 10 dias em vez de sete. O calendário simbolizou a mudança fundamental de perspectiva que ocorreu com a Revolução, e também divorciou a nação da França de sua subjugação a influência papal por descristianizar os dias da semana.

Significado

A bandeira usada atualmente originou da Revolução Francesa. Foi criada para se opor a bandeira do rei, que por si só era um símbolo do Antigo Regime. A bandeira francesa é uma bandeira tricolor: azul, branca e vermelha. As cores da bandeira significam as palavras do revolucionário lema "Liberdade, Igualdade e Fraternidade". Separadamente, cada cor representa ideais diferentes: a azul representa cuidar dos pobres, o branco representa a Virgem Maria e o vermelho representa o Santo Denis, em Paris.

Concepções erradas

Embora os direitos das mulheres foram defendidos durante a Revolução Francesa, por exemplo, com a "Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã" de 1791 por Olympe de Gouges, mulheres, no entanto, mantiveram-se cidadãs de segunda classe em comparação aos homens. A imagem popular de uma mulher de seios nus falando com soldados comuns na pintura "A Liberdade Guiando o Povo" de Delacroix, era mais simbólico que literal em sua representação de uma poderosa influência feminina na revolução. Pelos críticos, ela foi ridicularizada como uma prostituta simples. Na verdade, as críticas contra uma participante feminina em um levante revolucionário era ainda mais grave: "Eu declaro que a mulher Barbau da Marche Saint-Jean, no canto direito, é uma dessas que deve ser guilhotinada, foi vomitada do inferno para destruir a raça humana francesa (da Seção de Denúncia da Invisibilidade contra a Viúva Barbau). "

Geografia

Localizado em Paris, França, a Bastilha (prisão) serviu como um símbolo do Antigo Regime de Luís 16. Plebeus invadiram a Bastilha e a tomaram em 14 de julho de 1789, a fim de expressar a resistência contra o despotismo. Esse ato incitou a Revolução Francesa, que continuou por dez anos. Habitando apenas alguns prisioneiros quando foi invadida em 1789, a Bastilha foi conhecida mais por seu valor simbólico do que para a real necessidade de libertar seus ocupantes. Em homenagem a este evento, a França comemora Dia da Bastilha como um feriado nacional.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível