Sinais de um cavalo exausto

Escrito por charmaine jens | Traduzido por bianca amorim
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Sinais de um cavalo exausto
Um cavalo em forma deve retomar à respiração normal dentro de 10 minutos de treinamento (Comstock/Comstock/Getty Images)

Manter um equilíbrio entre o exercício, treinamento e descanso pode ser complexo. Um cavalo pode se adaptar a um regime de treinamento exigente ao longo do tempo, sem problemas de saúde significativos relacionados ao estresse. No entanto, muitos cavalos nunca se ajustam completamente e são afetados negativamente pelo treinamento frequente, viagens e competições. Problemas nos pés são a principal causa de claudicação e sobrecarregar um cavalo pode contribuir para fraqueza ou prejuízo das articulações ou os cascos, resultando em artrite, doença navicular e laminite.

Outras pessoas estão lendo

Estresse e fadiga

Um cavalo sobrecarregado sustentará a tensão psicológica e fisicamente. Estresse e fadiga podem ser expostos de várias maneiras, incluindo soprar com força pelas narinas, respirar com dificuldade, taxa de batimentos cardíacos maior do que o normal, falta de apetite ou tornar-se "exigente", perda de energia e entusiasmo, a falta de vontade de realizar atividades, perda de peso, lento desenvolvimento muscular, mau desempenho, aumento de infecções e tempo de recuperação mais longo após o treinamento ou doença. Um cavalo passando por um treinamento ou programa de exercícios particularmente exigente pode desenvolver dores, rigidez muscular, resultando em um aumento de lesão. Qualquer combinação destes sinais é uma indicação do nível de aptidão do cavalo. O cavalo precisa de tempo para se recuperar antes de continuar o treinamento. Permita que o seu cavalo tenha de uma a duas semanas de descanso e reduza o nível de treinamento até que ele recupere a força física e mental normal.

Desidratação

A massa muscular substancial de um cavalo o torna altamente suscetível à desidratação. Quando se trabalha duro sob altas temperaturas, um cavalo gera calor muscular considerável, o que faz com que sue e perda eletrólitos essenciais, resultando em fadiga muscular e cãibras. A desidratação também pode ocorrer durante o inverno, quando um cavalo pode se recusar a beber água gelada. Sobrecarregar um cavalo em tempo frio pode provocar inflamação da artrite. Realize exercícios moderados, alongamentos suaves ou de trabalhos com as mãos que aqueçam suficientemente os músculos do cavalo e mitiguem os efeitos da artrite. Um cavalo desidratado terá um pelo seco e opaco. Um cavalo deve ingerir de 10 a 15 litros de água limpa e fresca todos os dias. Mantenha um suprimento de eletrólitos equinos em caso de emergência.

Exaustão de calor

Exercício intenso em condições úmidas e excepcionalmente quentes podem causar a exaustão de calor (hipotermia) em cavalos tanto mal quanto bem condicionados. Os sintomas de exaustão pelo calor incluem batimentos cardíacos acelerados, respiração superficial, sudorese em profusão, perda de coordenação e comportamento desorientado ou inquieto. A hipotermia grave leva à insolação e provoca espasmos nos flancos e diafragma, colapso e convulsões. Um cavalo que apresenta uma temperatura corporal superior a 42 graus Celsius por um curto período de tempo pode sofrer danos cerebrais e morte. A insolação é uma emergência que requer a chamada de um veterinário imediatamente.

Laminite

Sobrecarregar um cavalo em superfícies duras pode resultar em laminite. A doença degenerativa no casco causa inflamação aguda, inchaço e a falta de fluxo sanguíneo para os tecidos que ligam a parede do casco aos tecidos subjacentes do pé. A condição é extremamente dolorosa e faz com que o cavalo repouse em seus calcanhares em vez das pontas das patas ao caminhar. O animal relutará para se mover, sem vontade de mover-se em círculos apertados, e prefere ficar com as patas dianteiras esticadas para fora e patas traseiras dobradas debaixo de seu corpo. Se um cavalo está sobrecarregado com laminite, esta pode tornar-se grave, resultando em danos irreparáveis ​​para as lâminas e desestabilização do osso do pedal, o que faz com que ele afunde nas solas do cavalo.

Doença navicular

A doença navicular é mais frequentemente relacionada com um cavalo que realiza regularmente um trabalho difícil em superfícies duras. Esta condição incurável tipicamente afeta ambas as patas dianteiras e é indicada por um aumento gradual da claudicação intermitente até que os ossos naviculares próximos ao calcanhar do cavalo começam a deteriorar-se. Um cavalo com a doença navicular hesitará em virar-se e encurtará seu passo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível