Sinais de herpes no pênis

Escrito por lisa sefcik | Traduzido por lily alves
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

Quando se trata de herpes, os homens podem se sentir mais seguros sabendo que herpes genitais são menos comuns entre o seu gênero do que entre as mulheres. De acordo com o Centro de Controle de Doenças, herpes genitais afetam um a cada oito homens em comparação com as mulheres, cujo o nível de infecção é de uma em cada quatro. Há casos, no entanto, de pessoas que pegam herpes, mas não sabem. Mais de 90 por cento dos hospedeiros não estão cientes de que estão infectados com o vírus. Sinais de herpes sobre o pênis podem ser bastante óbvios, especialmente durante um surto primário, mas, também, podem ser tão sutis que podem se tornar indetectáveis.

Outras pessoas estão lendo

Herpes genital: Como afeta homens

O vírus da herpes que afeta os seres humanos é o mesmo tanto em homens como em mulheres, e a doença é causada ou pelo vírus herpes simplex tipo 1 (HSV-1) ou pelo tipo 2 (HSV-2), embora a maioria dos casos seja promovida por este último. Uma vez que você esteja infectado, o vírus aloja-se no gânglio (nervo) mais próximo à base da coluna vertebral, onde permanece dormente até que seja ativado. Os homens podem notar sinais de herpes no pênis, mas feridas também podem entrar em erupção perto do ânus e no escroto, nas coxas e nas nádegas. É inteiramente possível que os sinais de herpes no pênis sejam tão leves que você não irá notá-los. É possível confundir um surto com uma picada de inseto, com o atrito de um passeio de bicicleta ou com uma reação alérgica ao preservativo ou espermicida.

Como se parece?

A herpes começa com lesões dolorosas que geralmente são compostas de minúsculas feridas agrupadas. As bolhas, eventualmente, se rompem, criando uma crosta, e se curam sem cicatrizes. De acordo com especialistas da Clínica Mayo, é possível que os homens tenham feridas dentro do pênis, o que pode causar um corrimento anormal. O surto inicial de herpes é geralmente o mais grave e ocorre dentro de duas semanas após ser exposto ao vírus. Muitas vezes, o primeiro surto é acompanhado por sintomas no corpo inteiro, que podem se assemelhar a uma gripe, por serem dor de cabeça, dor nas articulações, fadiga, febre e glândulas inchadas na área da virilha. Durante o primeiro surto, não é incomum um novo grupo de bolhas aparece após sete dias. De acordo com o CDC, o primeiro surto dura de duas a quatro semanas.

Como eu pego herpes?

Em 90 por cento dos casos, a herpes genital é o resultado do vírus o HSV-2, através do contato genital direto. No entanto, de acordo com a Clínica Mayo, a herpes genital também pode ser transmitida através do sexo oral. Os vírus HSV-1, que provoca a herpes oral (também chamada de bolhas de febre ou feridas frias), podem ser transmitidos para um parceiro sexual não infectado, especialmente quando estão presentes em lesões orais. Surtos genitais causados pelo HSV-1 são geralmente mais leves e mais curtos e resultam em menos surtos subsequentes.

Falando sobre HSV-1, há momentos complicados para ambos os sexos: o HSV-1, que causa bolhas de febre, também faz com que o organismo produza anticorpos para combater infecções de herpes subsequentes. Então, quando você está exposto ao HSV-2, os sintomas são tão leves que quase passam despercebidos.

Herpes: O que esperar

Após o primeiro surto, você pode esperar para receber mais quatro ou cinco durante o próximo ano, mas, em geral, eles serão menos graves. Se você tiver sinais evidentes de herpes no pênis, é importante consultar um médico para que o seu diagnóstico possa ser confirmado. Exames de sangue podem dizer se você tem herpes e, em caso afirmativo, se ela foi causada pelo HSV-2 ou pelo HSV-1. A herpes não tem cura, mas existem medicamentos antivirais orais que podem tratar os sintomas. A Clínica Mayo recomenda que qualquer pessoa sexualmente ativa com os parceiros sexuais não infectados ou que experimenta vários surtos de herpes tome estes medicamentos diariamente.

Prevenção

Se você receber um diagnóstico de herpes, é importante proteger os futuros parceiros. De acordo com o CDC, as mulheres contraem mais herpes do que os homens porque a transmissão homem-mulher do vírus é mais provável. Tomar medicamentos antivirais pode reduzir significativamente suas chances de passar herpes para os outros. Porém, o vírus ainda pode ser transmitido de forma assintomática através de pequenas fissuras na pele, mesmo quando não se nota a presença de feridas. Use preservativos de acordo com as instruções e evite ter relações sexuais com parceiros não infectados quando você tiver surtos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível