Mais
×

Sinais e sintomas da presença de amônia em tanques de peixes

Atualizado em 19 julho, 2017

A amônia é uma "assassina invisível", de acordo com o website FishChannel.com. Seu único nível aceitável em tanques é zero. Ela entra por meio de três métodos. Sua fonte menos provável é a água de torneira tratada inadequadamente. Matérias orgânicas em decomposição, tais como peixes mortos ou excesso de comida fazem os níveis de amônia aumentarem. Como ela é excretada pelas guelras dos peixes, aquários superlotados facilitam os níveis altos de amônia. Como ela não tem cor e é solúvel em água, tanques claros e cintilantes não são um indicativo de ambientes livres de amônia.

Mesmo na ausência de sintomas, testes regulares para identificar amônia em aquários são fundamentais (Photodisc/Digital Vision/Getty Images)

Filtração imperfeita

A filtração, ou sistema de filtragem, é um meio de remover amônia dos tanques. Se for limitada — por exemplo, com um filtro pequeno —, a amônia se acumula rapidamente. O período clássico para acumulação de amônia é quando um tanque, seus peixes e seu sistema de filtragem são novos. Isso é conhecido como "síndrome de aquário novo" e pode ser evitado pela adição gradual de peixes e testes frequentes de água enquanto você monta o tanque a uma capacidade segura. Quando a amônia definitivamente não é causada por essa "síndrome", os filtros devem ser verificados quanto a bloqueios, fluxos reduzidos e excessos de detritos.

Temperatura da água e nível de pH

A amônia existe em duas formas: amônia livre ou não-ionizada (NH3) e amônia ionizada, chamada amônio (NH4). O amônio é menos tóxico, mas ainda é uma grande preocupação. A proporção da toxicidade da amônia depende do nível de pH e da temperatura da água. Quanto mais altos, maior é a proporção de amônia não-ionizada altamente tóxica. De acordo com o website FishChannel.com, a amônia em um pH de 8 é 10 vezes mais tóxica que em um pH de 7. A 20° C, é 5 vezes mais tóxica que a 0° C. A amônia é 30% menos tóxica em aquários marinhos (água salgada), mas mesmo assim, o único nível aceitável é zero.

Nível de nitrito

Embora o amônio (NH4) seja a forma menos tóxica da amônia, ele pode levar a outro problema sério — nitrito. Quando o amônio se mistura com a água, as bactérias benéficas podem se converter em nitrito (NO2). Como a amônia, o nitrito é tóxico e prejudicial aos peixes. Ele causa estresse severo, problemas de respiração e enfraquecimento nos sistemas imunológicos, gerando uma suscetibilidade maior para doenças e morte. Embora o amônio facilite a produção de nitrito, testes independentes devem ser feitos para cada um.

Peixes insalubres

A amônia é um irritante para tecidos que causa sérios problemas aos peixes, tais como a hiperplasia. Estrias vermelhas aparecem nas guelras ou em outro lugar do corpo. As guelras ficam vermelhas ou roxas, e os tecidos se inflamam e sofrem hemorragias, fazendo com que filamentos delicados fiquem mais espessos e se aglutinem. Isso reduz suas habilidades em absorver oxigênio e excretar amônia, o que é um problema sério porque 90% de toda a amônia é excretada pelas guelras. Sinais adicionais de intoxicação por amônia, também conhecidos como "estresse por amônia", incluem letargia, perda de apetite, pairamento no fundo do tanque (especialmente para peixes que ficam na superfície) e olhos ou ânus inflamados.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article