Síndrome crônica de Epstein-Barr

Escrito por lysis | Traduzido por kelly isayama
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Síndrome crônica de Epstein-Barr
A mononucleose é popularmente conhecida como a doença do beijo (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

O vírus Epstein-Barr foi descoberto em 1964 e é o que causa a doença chamada mononucleose, mais comumente conhecida como a "doença do beijo". O Epstein-Barr é parte da família dos vírus da herpes. Estima-se que 75 a 90% da população é infectada com o vírus, mas, devido ao fato dos sintomas variarem em severidade, muitos não sabem que possuem a infecção. O vírus Epstein-Barr crônico (EBV) também é associado com uma doença mais comum, conhecida como síndrome da fadiga crônica (SFC).

Outras pessoas estão lendo

Sintomas

Devido ao fato do EBV ter uma grande variedade de sintomas, a doença geralmente é diagnosticada erroneamente pelos médicos. Os sintomas mais prevalentes são a fadiga e a depressão, o motivo pelo qual as vítimas de EBV geralmente são diagnosticadas com doenças mentais, como bipolaridade, psicose maníaco-depressiva e até mesmo hipocondria. Devido ao diagnóstico equivocado, a EBV pode durar por anos até que o medicamento correto seja administrado. Outros sintomas do EBV incluem agressão, suores frios, preocupação exagerada, febre e dores de cabeça.

Diagnóstico e testes

Se o médico suspeitar de EBV, dois testes estão disponíveis para o diagnóstico e a verificação da infecção. Devido ao fato do Epstein-Barr ser o vírus que causa a mononucleose, o mesmo teste é usado para detectá-la pode ser usado para a SFC. Os testes "monospots" são os mais comuns para esse vírus, mesmo que ele tenha progredido para a doença crônica. Além disso, testes de anticorpos são feitos para detectar a presença dos anticorpos virais. Os anticorpos são produzidos algumas semanas depois da infecção, então esse teste é útil depois que a infecção tenha se estabelecido por um tempo.

Tratamento

Devido ao fato do EBV ser um vírus, não há um tratamento para curar a doença, mas sim para oferecer cuidados com os sintomas, limitando a severidade dos mesmos. Alguns indivíduos com EBV tomam antidepressivos, ansiolíticos e até mesmo esteroides para o inchaço. Descanso, exercícios e ingestão de líquidos são recomendados para garantir recuperação total. O levantamento de peso aumenta as chances de ruptura do baço, então ele deve ser totalmente eliminado enquanto se recupera da infecção.

Prevenção

Não se sabe exatamente como o Epstein-Barr é transmitido, então a prevenção também é desconhecida. É comum se pensar que ele é espalhado através da saliva, mas alguns pacientes reportaram que esse meio de transmissão não fora possível. Pessoas que são imunossuprimidas também se tornam mais susceptíveis à infecção.

Prevalência

Devido a prevalência do EBV, alguns cientistas sugerem que ele é epidêmico. O EBV também é assintomático para várias pessoas, podendo ser transmitido sem consciência. O vírus também age diferentemente em países distintos, então é possível que várias tipos de cepas existam.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível