Sobre a oxidação do latão

Escrito por mike parker | Traduzido por eduardo horst maidana
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Sobre a oxidação do latão
O latão é uma liga composta de cobre e zinco (virginiarelics.com)

O latão é uma liga composta de cobre e zinco. No seu estado recém-fundido, o latão assume um tom dourado que pode ser polido para ficar brilhante. Sem o polimento ou um revestimento com verniz protetor, o latão pode manchar através de um processo conhecido como oxidação. Essa oxidação, que afeta inicialmente a superfície do metal, serve para diminuir o processo de corrosão e dar ao latão uma pátina, que pode ser desejável ou frustrante, dependendo da sua perspectiva.

Outras pessoas estão lendo

História

O latão é uma liga que foi encontrada por muitos estudiosos em artefatos do período pré-histórico. Devido a seu alto brilho, o latão foi frequentemente utilizado como espelho em várias civilizações antigas. Muitas culturas usaram o latão para fabricação de moedas e decoração. Dependendo da proporção de cobre e zinco, o latão pode manchar ou oxidar mais lentamente do que outros metais, fazendo-o ideal para usos contemporâneos, como na produção de instrumentos musicais, encanamentos e aplicações elétricas.

Função

A oxidação do latão ocorre quando as moléculas de cobre entram em contato com o oxigênio. A reação química que ocorre resulta em uma mancha opaca que varia de amarelo-esverdeado a vermelho acobreado, dependo da proporção de cobre e zinco do latão. A camada oxidada, ou pátina, provê um revestimento protetor ao redor das camadas interiores de latão. Para aplicações decorativas, a pátina é considerada desejável por muitos, pois dá ao latão a aparência de um objeto antigo.

Tipos

Existem dois tipos de oxidação do latão: a natural e a artificial. O latão oxida-se naturalmente quando exposto aos agentes atmosféricos. Em detalhes de casas antigas, feitos de latão, como maçanetas e aldravas, a coloração varia conforme o processo de oxidação avança. Ocasionalmente, restauradores de imóveis desejam recriar a pátina de latão oxidado sem ter que esperar por várias décadas. Para conseguir isso, eles expõe as peças de latão a alguma das várias soluções oxidantes disponíveis no mercado.

Benefícios

A oxidação é um meio natural de retardar o processo de corrosão do latão. Em aplicações que são mais funcionais do que decorativas, como na relojoaria fina, é aconselhável permitir a oxidação ao invés de tentar o polimento. Nesse casos, remover a camada existente de oxidação irá apenas aumentar a rapidez da deterioração do metal. Em aplicações decorativas, a oxidação natural, ou patinação, do latão é considerada por muitos uma característica que dá beleza ao objeto.

Prevenção/Solução

O latão, quando altamente polido, ganha um aspecto brilhante, parecido com ouro, que é admirado por muitos. Esse brilho pode ser mantido cobrindo o latão com uma fina camada de poliuretano ou verniz, que impede que o oxigênio do ar entre em contato com as moléculas de cobre do latão. Um grande número de fabricantes agora oferecem latão coberto com uma camada ultrafina de paládio, níquel ou algum outro metal estável, que previne a oxidação e garante o brilho do latão.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível