Sua criança quer muito um animal de estimação; você não

Escrito por dianne hardy-garcia | Traduzido por bruno laget
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail

Uma questão perene para os pais - "Posso ter um bichinho?"

Sua criança quer muito um animal de estimação; você não
Uma vez que tenha decidido que sua família está pronta para um animal, escolha que tipo de animal e onde o conseguirão. A adoção é frequentemente recomendada (Jupiterimages/Brand X Pictures/Getty Images)

"A realidade é que independentemente do fato da criança ter iniciado os esforços para obter o animal, os pais são sempre os responsáveis primários pelo cuidado com o bichinho".

— Adam Goldfarb, Sociedade Humanista da América

Enquanto os pais tendem a lutar contra os pedidos dos filhos por um animalzinho durante qualquer época do ano, defensores de animais dizem que os pais são mais propensos a considerar a ideia de incorporar um animal à família durante a primavera e o verão. Um animalzinho estará com você todas as estações, então há algumas considerações a serem feitas antes de trazê-lo para casa. "A primavera é um período no qual as famílias começam a pensar em ter um animal. Existe tanta vida nova ao redor - os pintinhos estão quebrando os ovos, há filhotes de coelho e até uma 'estação de gatos', então é compreensível que seja quando os pais considerem um sim para um animal na família", diz Madeline Bernstein, presidente da Sociedade para Prevenção de Crueldade aos Animais de Los Angeles, Estados Unidos. "Descobrimos que a maior parte das famílias com crianças faz as adoções no verão, acreditando que a criança terá mais tempo para se ajustar aos bichinhos durante as férias escolares. Mas independentemente da estação, nós sempre encorajamos os pais a parar e pensar se realmente querem adotar um animalzinho para a família". Adam Goldfarb, diretor do Programa Animais em Risco da Sociedade Humanista da América, concorda com essas considerações. "Nos meses mais quentes, é mais fácil ter a ideia de andar com um cachorro. As pessoas têm pensamentos idílicos sobre como é ter um animal. O que é importante, acima de tudo, é realmente avaliar e examinar o que significa ter um animal na família".

A real pergunta

Goldfarb e Bernstein sugerem que os pais devam guiar a discussão de ter ou não um animal substituindo a pergunta "Posso ter um bichinho?" por "Nossa família está pronta para um?"

"A realidade é que independentemente do fato da criança ter iniciado os esforços para obter o animal, os pais são sempre os responsáveis primários pelo cuidado com o bichinho", diz Goldfarb. "Então, é importante começar o processo examinando se a família possui o tempo, espaço e recursos necessários para cuidar de um animal".

Isto dispõe a família a uma conversa mais prática sobre o que a adoção de um animal vai significar para todos.

"Em última instância, os pais precisam guiar as discussões sendo realistas e específicos" complementa Bernstein. "O que isto significará para nossa família? Que papel cada um de nós terá sob responsabilidade própria? Quanto estamos dispostos a investir para treinar o animalzinho? Quem tomará conta dele quando sairmos de férias?"

Pesquisa & sendo específico

Após ter decidido que um animal é uma possibilidade, pesquise que tipo de animais você está interessado e descubra o que significa tomar conta destes animais.

"Você pode começar conseguindo um livro que fale sobre o que significa ter determinado animal", diz Bernstein. "Converse também sobre o estilo de vida da família e explore com suas crianças o tipo de animal que melhor se encaixaria na família".

De acordo com a Sociedade Humanista, quase um terço das casas americanas possuem um cão ou um gato. Dado o amor geral pelos animais, os defensores explicam que existe muita informação disponível sobre quase qualquer animal que sua família possa pensar.

"É importante descobrir que tipos de animais combinam com a faixa etária das crianças", diz Bernstein. "Um pintinho pode não ser adequado para uma criança de 2 anos".

Goldfarb aponta que enquanto a maioria dos pais está focada em cães ou gatos, é uma boa ideia estarem abertos a outros animais. Ele encoraja os pais a incluírem uma variedade de animais, e examinar as características de espécies distintas.

Considerando adoção & conselheiros de adoção

Se você achar que sua família está pronta, os defensores de animais incentivam os donos em potencial a considerarem o resgate ou adoção de um animal das suas organizações.

"Na Sociedade Humanista, nós encorajamos fortemente as pessoas a explorarem a adoção de um animal de um abrigo local ou organização de resgate como sua primeira opção de adotar um animal" continua Goldfarb. "Muitas pessoas trabalham com abrigos e grupos de resgate e podem arrumar boas combinações entre animais e pessoas".

Além das preocupações éticas a respeito de cruzamentos, organizações como a adopt-a-pet.com enfatizam que, nos EUA por exemplo, existem mais de 100.000 animais precisando de lares. Esta organização é um dos maiores websites para adoção sem fins lucrativos com mais de 10.000 abrigos e sociedades postando animais para adoção.

Bernstein enfatiza a adoção em abrigos locais também.

"Abrigos animais e organizações de resgate tendem a conhecer melhor seus animais. Eles normalmente podem dar mais informações sobre os animais que possuem", ela explica. "Muitos abrigos também possuem conselheiros de adoção que podem ajudar as famílias a encontrarem um animal que combine bem com eles. Uma família pode vir pensando em um cão, e um conselheiro ajudá-los a achar o porquinho-da-guiné perfeito".

Antes da escolha

Antes de escolher seu novo animal, os especialistas apontam que toda a família deve ir ao abrigo ou centro de adoção antes da adoção. Certifique-se de que o animal e todos na família estejam confortáveis com essa escolha importante.

"Pode ser tentador surpreender seu filho com um animalzinho novo, mas geralmente esta não é uma boa ideia", diz Bernstein. "Algumas crianças ficam apavoradas com certos animais, e certos animais têm uma reação a algumas crianças que é difícil superar".

Por último, lembre-se de que quando estiver trazendo aquele animal especial para casa, estará se comprometendo a cuidar dele durante toda a vida do animal. Alguns cães, gatos e coelhos podem viver de dez a 20 anos - e alguns pássaros especiais podem viver até 100.

Ainda que pareça uma responsabilidade gigantesca para pais já ocupados, Goldfarb aponta que isto significa uma lição importante para as crianças.

"Ter um animal permite aos pais mostrarem às crianças diretamente como cuidar e ser responsáveis por um animal da família com quem realmente se importem", ele diz.

Para os seus filhos, este é o verdadeiro presente do animal da família.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível