O que são tapeçarias Gobelin?

Escrito por jann seal Google | Traduzido por marcelo couto
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O que são tapeçarias Gobelin?
As tapeçarias Gobelin surgiram no século 17 (old tapestry image by sumos from Fotolia.com)

A família Gobelin original, cujo nome se tornou sinônimo de excelentes tapeçarias francesas, começou como tintureira na metade dos anos 1400 em Paris, França. A fábrica evoluiu para uma produtora de tapeçarias durante os anos 1600, quando o rei da França, Henrique 4, importou tecelões flamengos e focou na criação de tapeçarias complexas. O rei Luís 14 promoveu a produção da fábrica dos Gobelins ao adicionar estofados, mobílias e ourives à linha de produção, tudo para uso da Coroa. Quando as finanças acabaram, a fábrica fechou. Foi reaberta em 1699 e produzia somente tapeçarias até os anos 1800, quando a produção de tapetes se tornou uma evolução natural dos tecelões. Atualmente, a fábrica dos Gobelins é propriedade do Estado, sob comando do Ministério da Cultura Francesa e continua produzindo tecelagens para a França. A fábrica é aberta ao público para visitação.

Outras pessoas estão lendo

Desenhos dos Gobelins

Quando a fábrica Gobelin tornou-se um centro para produção de tapeçarias, o famoso pintor Charles Lebrun foi encarregado do trabalho de decoração de todas variedades de tapeçarias. Ele encomendou desenhos preliminares, que eram esboços em tamanho real, de artistas famosos da época, que se tornaram a base para a maioria das tapeçarias e estofados produzidos. O artista francês Jean Restout, pintores da corte da França e o Sacro Império Romano, todos contribuíram com esboços para a fábrica. Desenhos do tipo "Mille fleur" com milhares de flores e folhas e o palácio do Vale do Loire eram as estampas favoritas de tapeçarias. Todas eram opulentas e exalavam luxo.

Confecção das tapeçarias

As tapeçarias Gobelin eram tecidas e costuradas à mão. A técnica de "tecer e costurar" dos Gobelins era complicada, com aprendizes que muitas vezes estudavam de oito a dez anos para aperfeiçoar sua arte. Nenhum nó era usado nos Gobelins, e a tapeçaria era tecida em um tear de urdidura baixa. Muitos tecelões trabalhavam ao mesmo tempo em uma única peça, usando modelos da obra de arte e tecendo a partir do verso da tapeçaria. Um espelho era colocado debaixo para refletir a imagem conforme ela ia sendo terminada. Uma moldura era tecida na tapeçaria para criar um efeito final.

Colecionadores famosos

Madame de Pompadour, uma famosa cortesã do rei Luís 14, admirava as tapeçarias Gobelin e encomendava muitas para sua residência pessoal, o Palácio de Belleville. As paredes do Palácio de Versalhes também exibiam Gobelins. O palácio do Grão-Mestre de Malta possui uma série de tapeçarias com temas africanos e sul-americanos da fábrica dos Gobelin. Esses continentes eram pouco conhecidos pelos europeus na época, e as tapeçarias continham imagens de pássaros radiantes e animais selvagens que foram tiradas obras encomendadas pelo rei Luís 14. Inicialmente roubadas por piratas da costa da Sicília, as peças foram resgatadas antes de serem entregues ao governo de Malta.

Destruição das tapeçarias

Junto com a Revolução Francesa chegou a destruição das obras de arte das casas da Corte Real Francesa e de seus cidadãos ricos. Os Gobelins foram saqueados e queimados. Quando a paz chegou, eles foram substituídos por tapeçarias mais simples, tanto no desenho quanto na fabricação. A era de opulência e luxo, assim como as tapeçarias Gobelin, havia acabado.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível