Mais
×

Técnicas de veladura dos antigos mestres da pintura

A veladura é uma técnica usada por antigos mestres da pintura como Rembrandt ou Vermeer. Ela combina duas ou mais camadas transparentes de tinta, que são aplicadas sobre uma uma base opaca. Cada camada transparente é sobreposta às demais e elas se compõem, criando novas cores e dando profundidade a uma obra de arte. Para o artista que quer adicionar uma nova dimensão ao seu trabalho, um retorno às técnicas dos velhos mestres pode ser a solução.

A técnica proporciona novas características à obra (Jupiterimages/Stockbyte/Getty Images)

Definição

A veladura é uma técnica que utiliza duas ou mais camadas transparentes de tinta para conseguir uma nova cor. A tinta a óleo é diluída com certo tipo de óleo ou resina alquídica e pintada sobre partes da tinta de base, camada por camada. Uma analogia simples seria pensar no celofane colorido tendo uma folha de amarelo e uma folha de vermelho. Quando colocadas em conjunto, a cor resultante é laranja. Embora a matiz possa ser a mesma, o resultado da combinação das duas cores que são misturadas diretamente é muito diferente. O artista e escritor Bill Creevy explica em seu trabalho "The Oil Painting Book" que é essa técnica que dá a uma pintura uma qualidade de joia.

História

Segundo Creevy, a técnica de veladura remonta pelo menos ao século 15 e é a mais antiga forma conhecida de pintura a óleo. No início, a técnica só era usada para unificar os traços com uma têmpera sob o quadro. As pinturas de Rembrandt exemplificam esta técnica perfeitamente, diz Creevy.

Grisalha

Para usar a técnica veladura com sucesso, mestres como Vermeer teriam criado uma grisalha, (do francês "gris" que se traduz como cinza em português) que é uma base opaca que usa as tintas preta, branca e cinza (bases de pinturas podem ser feitas usando uma variedade de cores, mas as cores devem ser monocromáticas). Uma boa maneira de entender uma base é pensar em uma foto colorida que foi convertida em uma foto em preto e branco em um programa de computador. Após a foto ser clareada em vários tons, o que resta seria semelhante à base da pintura. Uma primeira camada de tinta transparente utilizando a técnica veladura será aplicada e deixada para secar. Outra cor utilizando a técnica seria aplicada em seguida. O processo é repetido até que tenha sido alcançada a cor desejada.

Pintura opaca versus pintura tranparente

A técnica de veladura em si é aplicada quando uma pequena porção da tinta é adicionada a um óleo ou resina alquídica, o efeito alcançado é a transparência. As camadas que usam a técnica devem ser transparentes, embora coloridas, porque as camadas abaixo delas devem estar à mostra. Algumas cores, tais como os brancos chumbo ou titânio, nunca podem ser transparentes e, portanto, não podem ser utilizados para fins da técnica. Isso não quer dizer que elas não podem ser utilizadas em um quadro em que o artista escolha usar a técnica parcialmente. Na verdade, mestres como Vermeer usaram uma tinta-base opaca que foi então coberta por camadas de veladura, para adicionar profundidade e para criar cores que não estavam disponíveis em seu tempo. Usando a técnica, o pintor misturaria opticamente duas ou mais camadas de pintura criando assim um novo tom.

Médiuns para veladura

Para o iniciante, a melhor aposta pode ser comprar um frasco de médium já preparado para veladura como, por exemplo, óleo de nozes. Para os mais aventureiros, uma mistura de óleo de linhaça espessado por exposição ao sol e com solvente produz uma bela veladura de alto brilho. Além disso, a artista Margaret Krug adverte em seu livro, "An Artist's Handbook", que o óleo de linhaça tende a amarelar mais rapidamente ao longo do tempo do que um "medium" como o óleo de semente de papoula. Isso mudará a aparência da peça ao longo do tempo. Sendo esse o caso, como acontece com todas as novas técnicas artísticas, é melhor experimentá-las para determinar qual funciona melhor.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article