A Teoria do Estabelecimento de Objetivos de Locke

Escrito por renee o'farrell | Traduzido por mirella veloso
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A Teoria do Estabelecimento de Objetivos de Locke
A teoria do estabelecimento de objetivos de Locke tem muitas aplicações práticas, dentro e fora do ambiente de negócios (livres image by b0t from Fotolia.com)

A teoria do estabelecimento de objetivos de Locke tem muitas aplicações práticas, dentro e fora do ambiente de negócios. Professor da Universidade de Maryland, Locke define as características que encorajam o sucesso. Enquanto a teoria nos remete à psicologia, as suas aplicações no mundo dos negócios têm sido profundas e duradouras.

Outras pessoas estão lendo

A influência de Ryan

A teoria do estabelecimento de objetivos de Locke foi criada na premissa originalmente colocada pelo professor Thomas A. Ryan, que "objetivos conscientes afetam as ações". Como dito por Locke em "Construindo uma teoria prática e útil de estabelecimento de objetivos e motivação para a tarefa", Ryan discutiu que o comportamento humano é afetado por motivos, plano, intenções, tarefas e tudo o mais que seja consciente.

Definição básica

A teoria de Locke opera sob a premissa de que indivíduos criam objetivos fazendo decisões cuidadosas para isso, e são compelidos para esses objetivos em virtude de que o objetivo foi estabelecido. Basicamente, a teoria de Locke diz que se uma pessoa determina os seus objetivos, ela será motivada a atingir esses objetivos justamente porque os determinou. Alguns elementos devem existir para que o efeito de determinação dos objetivos ocorra. Os objetivos devem ser claros, desafiadores, e possíveis, e deve existir algum método de receber "feedback". Locke acha que somente o objetivo não é o motivador, mas sim a diferença percebida entre o que foi efetivamente atingido e o que se planejou.

Dificuldade do objetivo e performance

Locke e os professores Steve Motowidlo e Phil Bobko descobriram que "maiores expectativas levam a maiores níveis de performance", o que está de acordo com a teoria da valência-instrumentalidade-expectativa de Vroom. Contraditoriamente, eles também mostraram que quando as expectativas estão baixas, mas o nível do objetivo é alto, a performance será alta também.

Mecanismos do Objetivo

O objetivo serve a quatro funções primárias: 1. Ao especificar um objetivo, o indivíduo deve direcionar o seu foco na direção desse objetivo e longe de atividades não relacionadas a ele. 2. A determinação de um objetivo é um ato de estímulo-comportamental. De acordo com Locke, "altos objetivos levam a um maior esforço do que pequenos objetivos". 3. Objetivos têm um efeito positivo na persistência. Entretanto, existe um relacionamento inverso entre o tempo e a intensidade. 4. Objetivos direcionam inconscientemente o indivíduo no sentido de descobrir melhores formas de fazer coisas, podendo ser cálculos ou atos físicos.

Moderadores do objetivo

A teoria de Locke diz que, para que o objetivo seja bem sucedido, a pessoa deve estar comprometida com o mesmo completamente e possuir auto-eficácia. Essa auto-eficácia deve ser aumentada inicialmente pelo fato de que essa tarefa foi dada a pessoa que então, se acredita se capaz de completá-la. Ele também descobriu que "para que os objetivos sejam efetivos, as pessoas precisam de "feedbacks"que revelem o seu progresso em relação aos objetivos. Se ele não sabem como estão indo, é difícil ou impossível para eles o ajuste ao nível de direção do seu esforço, ou de ajustar as suas estratégias de performance para casar com o que o objetivo requere". A complexidade da tarefa também modera os efeitos dos objetivos porque tarefas mais complexas requerem a revisão de estratégias mais complexas do que os objetivos de menor dificuldade. Por último, objetivos mais complexos devem ser quebrados em alguns objetivos menores. O estabelecimento de objetivos mais próximos também promove um feedback do progresso.

Limitações

Como notado por Locke, a sua teoria da determinação de objetivos tem algumas limitações: 1. Conflito de objetivos. Às vezes, um indivíduo tem alguns objetivos, e alguns deles podem estar em conflito. Quando isso ocorre, a performance irá sofrer. 2. Objetivos e risco. Objetivos e prazos mais difíceis podem incitar comportamentos e estratégias mais arriscados. 3. Personalidade. O sucesso de um objetivo é amplamente afetado pela auto-eficácia. A personalidade também desempenha um grande papel na determinação de objetivos e na sua aproximação. 4. Objetivos e motivação subconsciente. Os motivadores do subconsciente afetam pessoas regularmente, mas a forma como esse motivadores subconscientes afeta a performance do objetivo ainda não foi estudada.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível