Tratamento com Atopica para cachorros com fístula perianal

Escrito por maura wolf | Traduzido por claudia figueira
Tratamento com Atopica para cachorros com fístula perianal
Uma elevada porcentagem dos cachorros que sofrem de fístulas perianais são pastores alemães (german shepherd image by Vaida from Fotolia.com)

Atopica, a fórmula veterinária do medicamento imunossupressor ciclosporina, foi originalmente formulada para o alívio de dermatite atópica, um problema de alergia de pele provocado por vários alérgenos. O Atopica é considerado um tratamento efetivo em outras doenças caninas, tais como fístula perianal, uma condição que causa lesões dolorosas e muitas vezes ulceradas em volta do ânus do cachorro. Uma porcentagem elevada de cachorros que sofrem de fístulas perianais são pastores alemães.

Atopica

O medicamento Atopica é apenas vendido com prescrição de um veterinário e funciona pela supressão do sistema imunitário do cachorro. Pertence a uma classe de medicamentos conhecida como imunossupressores, que combatem os problemas de imunidade do organismo. A dosagem ideal para tratamento das fístulas perianais é desconhecida, por isso o seu veterinário pode pedir que você experimente doses diferentes para determinar o que funciona com o seu cachorro.

O Dr. Wendy C. Brooks, DVM, e diretor pedagógico da VeterinaryPartner.com, explica que devido à Atopica "ser um medicamento relativamente caro, um truque farmacológico é comumente usado para conseguir um nível mais elevado no sangue com uma dose inferior". O medicamento antifúngico cetoconazol, usado paralelamente com a ciclosporina, interfere com a remoção, pelas enzima do fígado, da ciclosporina ingerida. Quando uma dose baixa de cetoconazol é adicionada, o custo da ciclosporina "pode ser cortado pela metade".

Tratamento com Atopica para cachorros com fístula perianal
Atopica e ciclosporina são vendidos em forma de cápsula (tablets image by Marek Kosmal from Fotolia.com)

Fístulas perianais

As fistulas perianais, também denominadas de furúnculos anais, ocorrem com mais frequência em cachorros de meia idade, embora os mais novos e mais velhos possam sofrer do mesmo. Os pastores alemães são especialmente propensos a contrair a doença, possivelmente porque "têm mais glândulas na zona perianal do que as outras raças, ou devido ao posicionamento das suas caudas”, de acordo com os Drs. Foster e Smith da PetEducation.com. Os pastores alemães também parecem ter mais “doenças imunomediadas, que podem ser um componente desta condição". O Dr. Carlos Souza, DVM, escrevendo na Acvs.com, avisa que “a hereditariedade pode ter um papel importante no seu desenvolvimento; assim, os cachorros com fístulas perianais não devem se reproduzir".

Tratamento de fístulas perianais

As dietas de elevada qualidade podem diminuir a ocorrência de problemas intestinais alérgicos e inflamatórios associados à fístula perianal. A American College of Veterinary Surgeons explica que o tratamento médico poderá incluir “uma alteração na dieta, para uma dieta de proteínas de alta qualidade”, antibióticos, medicamentos anti-inflamatórios, tais como prednisona ou medicamentos imunosupressores, tais como Atopica, e unguentos tópicos, como Tacrolimus. A remoção do saco anal ajuda alguns cães, mas como qualquer outro tratamento cirúrgico, é uma opção de último recurso. A cirurgia, incluindo amputação da cauda, era comum e alguns veterinários ainda a recomendam, mas antes de considerar ou concordar com essa opção cirúrgica, procure uma segunda opinião, pesquise e consulte pessoas cujos cães também sofram de fístulas perianais.

Benefícios do Atopica

Quando o medicamento Atopica ou ciclosporina modificada foi usado em cachorros para “o tratamento de fístulas perianais, foi registada uma porcentagem de cura de cerca de 80 porcento”, de acordo com a Veterinary Information Network. O prognóstico para a cura inicial das lesões que estão no início é bom, mas infelizmente, muito provavelmente o problema irá reaparecer e geralmente requer um tratamento vitalício, com dietas especiais, cuidados em casa e medicamentos imunossupressores.

Efeitos secundários do Atopica

A empresa que produz o Atopica explica no seu website, us.Atopica.com, que “como acontece com todos os medicamentos, podem ocorrer efeitos secundários. Em um estudo de campo, os efeitos secundários mais comuns eram problemas gastrointestinais”, tais como náuseas, vômitos, diarreia e perda de apetite, afetando 3 em cada 10 cachorros durante o primeiro ou segundo dia do tratamento, mas geralmente resolvem-se no período de uma semana.

Os cães que tomam Atopica podem desenvolver pelo mais espesso e deixar cair mais pelo do que normalmente. Outros efeitos secundários incluem calos nas almofadas das patas, hiperplasia gengival e orelhas vermelhas e inchadas. Quando a ciclosporina foi descontinuada, estes sintomas desapareceram ou melhoraram.

Tratamento com Atopica para cachorros com fístula perianal
O seu cachorro poderá sofrer de problemas gastrointestinais quando começar a tomar Atopica (dogs face image by leafy from Fotolia.com)

Avisos

Evite dar Atopica e ciclosporina a cães com doenças de fígado ou de rins, úlceras estomacais, histórico de câncer e certos problemas de sangue. Não use em cadelas grávidas ou cães lactentes, cães com menos de seis meses ou cães de porte muito pequeno.

Devido ao Atopica suprimir o sistema imunológico, o uso prolongado pode causar infeções bacterianas ou fúngicas que permitem que micro-organismos que normalmente seriam combatidos causem doenças. Enquanto estiverem sob tratamento com Atopica, os cães não podem ser vacinados, pois correm o risco de indução de uma infecção ativa.