×
Loading ...

Tratamento cognitivo-comportamental para o TDAH

Atualizado em 17 abril, 2017

A terapia cognitivo-comportamental, uma forma de terapia que se concentra no pensamento ao invés de emoção, tem sido usada há mais de 40 anos no tratamento de fobias, ansiedade e depressão. Na última década, os terapeutas cognitivo-comportamentais começaram a aplicar seus métodos para tratar tanto o déficit de atenção quanto a hiperatividade (ADD e TDAH).

A terapia cognitivo-comportamental, uma forma de terapia que se concentra no pensamento ao invés de emoção, tem sido usada há mais de 40 anos no tratamento de fobias, ansiedade e depressão (http://www.flickr.com/photos/anotherphotograph/2785769967/)

TDAH

O TDAH é um transtorno do desenvolvimento neuro-comportamental, nomeado pela primeira vez nos anos 70. A Associação Psiquiátrica Americana define como um "padrão persistente de desatenção ou hiperatividade". Três a cinco por cento das crianças na América possuem sintomas de TDAH e cerca de quarenta por cento das crianças com TDAH continuam a manifestar a doença na idade adulta. A quantidade de meninos diagnosticados com a condição é o dobro da de meninas.

Loading...

Diagnóstico e tratamento

De acordo com o Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e Derrame dos EUA, os sinais de TDAH incluem inquietação, falar demais, deixar o trabalho inacabado e ser incapaz de ouvir as instruções e prestar atenção aos detalhes. O TDAH é geralmente tratado com estimulantes como Ritalina, Adderall ou Anfetamina, remédios que diminuem a hiperatividade e aumentam a capacidade de concentração. No entanto, os médicos recomendam outros métodos de tratamento em conjunto com a medicação: as crianças com TDAH são muitas vezes colocadas em salas de aulas especializadas, tuteladas além da escola e, agora, tratados com terapia cognitivo-comportamental (TCC).

TCC e TDAH

Os sintomas do TDAH são frequentemente sérios e causam impedimentos à vida do paciente. Como resultado, as pessoas diagnosticadas com o transtorno podem desenvolver uma auto-estima negativa e ansiedade, agravando, assim, os seus sintomas originais. A terapia cognitivo-comportamental ajuda os pacientes a controlarem os seus padrões negativos de pensamento e entender que sua maneira de ver a si mesmos influencia na forma como eles interagem com o mundo. O objetivo da TCC é mostrar ao paciente que esses padrões de pensamento são mutáveis​​ e depois alterá-los.

Distorções específicas

As pessoas com TDAH muitas vezes caem em formas específicas de pensar sobre si mesmo. Os pensamentos do tipo tudo-ou-nada, onde se algo não é perfeito, parece um fracasso, são comuns, assim como a generalização, onde os indivíduos veem contratempos específicos como parte de um padrão imutável. Isso pode causar paranoia social, onde os pacientes pensam que estão sempre mal vistos pelos outros, e o pensamento preditivo, onde os pacientes esperam a falha antes de todos os eventos. Outras distorções de pensamento da TDAH incluem a fixação de como as coisas deveriam ser, ao invés de como são ou poderiam ser, o pensamento comparativo, onde o paciente constantemente mede-se contra os outros, e excesso de personalização ou a colocação de muita responsabilidade sobre si mesmo.

Eficácia

Embora a terapia comportamental cognitiva não possa ser utilizada como um substituto para o medicamento, um estudo da TCC de 2005, realizado em Boston, mostrou que quando usado em conjunto com medicação, o tratamento é significativamente mais eficaz do que sozinho. Em geral, a TCC é um método de ação rápida de psicoterapia; os terapeutas e os pacientes geralmente relatam resultados positivos mensuráveis ​​após 12 a 15 sessões de uma hora. Para aqueles que procuram encontrar um terapeuta cognitivo-comportamental para o tratamento de TDAH, é importante encontrar um especialista com formação prévia no tratamento do TDAH, já que muitos terapeutas cognitivos não tiveram experiência com essa área relativamente nova de tratamento.

Loading...

Referências

Recursos

Loading ...
Loading ...