Tratamento de demência fronto-temporal

Escrito por brock cooper | Traduzido por fellipe jardim
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tratamento de demência fronto-temporal
A demência fronto-temporal pode requerer acompanhamento 24 horas por dia

A demência fronto-temporal é qualquer um de uma série de problemas relacionados à degradação ou atrofia do lobo frontal do cérebro. Esta área está associada ao comportamento, fala e linguagem e personalidade. As causas de demência fronto-temporal variam. Alguns subtipos foram relacionados à hereditariedade e um tipo de proteína nas células, mas as causas de muitos outros tipos permanecem desconhecidas. A doença é, na maioria das vezes, de natureza progressiva e o paciente eventualmente precisará de cuidados 24 horas por dia.

Outras pessoas estão lendo

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas variam de acordo com a parte do lobo que sofreu degradação, mas podem incluir reações irregulares e inadequadas aos estímulos emocionais e sociais, perda da capacidade de compreender determinados aspectos da linguagem falada e escrita e, em casos mais raros, tremores, rigidez e dificuldade de engolir. A gravidade dos sintomas varia de paciente para paciente, mas pode estar entre pouco perceptível a debilitante.

O diagnóstico depende de um exame minucioso sobre o histórico médico quanto a quaisquer associações à demência fronto-temporal, uma avaliação física e mental para determinar o quanto as faculdades físicas e mentais foram afetadas e tomografia computadorizada e ressonância magnética da região do lobo frontal para verificar a extensão de degradação, coágulos sanguíneos ou outros distúrbios. O médico também pode pedir exames de sangue para determinar a função da tiroide, renal e hepática e hemograma. Uma vez que um neurologista diagnosticou demência fronto-temporal, o paciente será colocado sob um regime de tratamento dependente de seus sintomas.

Tratamento

Uma vez que a maior parte dos inconvenientes causados ​​pela demência fronto-temporal são relacionados ao comportamento, o médico pode receitar antidepressivos ou antipsicóticos de forma a diminuir os problemas comportamentais. Descobriu-se que ambos são eficazes, mas os idosos podem estar em maior risco de efeitos colaterais fatais pelos antipsicóticos. Aqueles com problemas de linguagem podem ser colocados sob fonoterapia para controlá-los ou desenvolver uma nova estratégia de comunicação.

Há também meios não médicos de lidar com os problemas que possam surgir. Pode ser necessário remover os estímulos que criam uma reação anormal, criação de um ambiente que é repousante e antecipação das necessidades que possam surgir antes do tempo a fim de conhecê-las. Qualquer um que cuida de uma pessoa com demência fronto-temporal deve estar preparado para mudanças bruscas de humor e comportamento que podem ser assustadoras, constrangedoras ou intimidadoras.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível