Tratamento da erliquiose canina

Escrito por serena thomas | Traduzido por márcia burke
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tratamento da erliquiose canina
Carrapatos transmitem doenças graves ao seu cão (Comstock Images/Comstock/Getty Images)

A erliquiose canina é uma doença causada pela bactéria de um carrapato que afeta o sangue do cão. Quando detectada precocemente, é facilmente tratável pelo seu veterinário, mas quando despercebida pode se desenvolver de forma crônica, tornando-se muitas vezes fatal. O tratamento geralmente envolve a internação do cão e cuidados de suporte para controlar os sintomas. A prevenção rotineira ao carrapato pode manter o seu cão livre da doença.

Outras pessoas estão lendo

Fase aguda

A primeira fase da erliquiose é a fase aguda e, normalmente, ocorre algumas semanas após a infecção. A doença é transmitida através da picada de um carrapato que é mais comumente encontrado no sudoeste dos Estados Unidos. Após ser picado pelo parasita, a bactéria ataca o sistema cardiovascular causando febre, vasculite e anemia. Estes sintomas muitas vezes dão origem a sintomas secundários, como anorexia, letargia e respiração acelerada. Esta fase geralmente dura cerca de duas semanas e os sintomas, por serem tão leves, podem não ser notados, levando o cão para a segunda fase, onde a doença permanece latente durante vários anos.

Se os sintomas forem graves o suficiente para serem notados, antibióticos e cuidados complementares são uma forma bem sucedida de tratamento para a recuperação completa do cão. Para confirmar o diagnóstico, o veterinário irá realizar uma série de testes de verificação da presença da bactéria. A utilização do antibiótico doxiciclina (4 a 6 semanas), é geralmente bem sucedida na eliminação do organismo. Em cães anêmicos, a hospitalização e a administração de fluidos por via intravenosa podem ser necessárias para estabilizá-los. Cães gravemente anêmicos podem precisar de transfusões de sangue ou terapia esteroide para debelar a doença.

Fase crônica

Se o aparecimento da doença na fase inicial não for observado ou tratado, a bactéria ficará latente durante vários anos. Durante esse perído, o sistema imunológico do cão vai trabalhar para eliminá-la do corpo, mas se este processo não for bem sucedido, a fase crônica normalmente é desencadeada, tornando-se muitas vezes fatal.

Nesse momento, o organismo começa a atacar a medula óssea, o que resulta na debilidade do sistema imunológico e numa baixa contagem de glóbulos vermelhos. O tratamento de suporte deve ser administrado quando estes sintomas forem observados, tornando necessária a hospitalização periódica e o tratamento com esteroides para alguns cães. Nessa fase, os antibióticos podem ser usados ​​com sucesso na eliminação do organismo, mas os danos causados ​​ao corpo do animal afetado já terão sido impostos.

Este problema pode ser totalmente evitado com a aplicação regular de medicações preventivas contra pulgas e carrapatos, como Frontline ou Revolution. Isso irá evitar a picada do carrapato que infecta o cão. Depois de levar o seu cão em áreas arborizadas, onde é alta a incidência de carrapatos, examine o cão completamente para ter certeza que ele não foi mordido.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível