Tratamentos para abcessos no fígado

Escrito por james rada, jr. | Traduzido por raissa oliveira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tratamentos para abcessos no fígado
Um abcesso hepático é uma cavidade cheia de pus no fígado

Um abcesso hepático é uma cavidade cheia de pus no fígado. Tal diagnóstico costumava ser fatal em 60 a 80% das vezes, mas os tratamentos modernos reduziram a taxa de mortalidade para 5 a 30%. Apesar disso, continua a ser uma infecção perigosa, que será fatal se não tratada. A incidência de abscessos hepáticos caiu ao longo dos anos e agora varia de 8 a 16 casos a cada 100.000 pessoas hospitalizadas.

Outras pessoas estão lendo

O que acontece se um abcesso não for tratado

Os abcessos hepáticos são geralmente causados por uma infecção onde as bactérias intestinais são transportadas pelo sangue do intestino para o fígado. As bactérias que mais comumente causam o problema são a Escherichia coli (E. coli), a Klebsiella, os enterococos, os estafilococos e os estreptococos, além dos bacteroides. Um abscesso hepático não tratado irá causar septicemia, empiema ou peritonite. Com a peritonite, os espaços pleurais ou peritoneais e extensão retroperitoneal se romperão. Qualquer uma dessas complicações podem causar a morte.

Terapia com antibióticos

Embora a terapia antibiótica possa ajudar no tratamento de um abscesso, não é normalmente o único tratamento. Foi usado com os pacientes que estavam demasiadamente doentes para submeter-se a uma terapia invasiva ou que tinham múltiplos abscessos que não podiam ser facilmente drenados.

Tratamento antimicrobiano

O tratamento antimicrobiano é utilizado em conjunto com a drenagem percutânea ou cirúrgica (veja a seguir). Este tratamento pode envolver 750 mg de metronidazol tomados 3 vezes ao dia durante 10 dias. Durante o tratamento, os níveis de medicação, a função renal e a contagem sanguínea podem ser monitorados.

Drenagem cirúrgica / drenagem percutânea

Embora a drenagem cirúrgica do abscesso ainda seja feita às vezes, o padrão de atendimento agora é a drenagem percutânea. Ambos envolvem o corte do corpo, para localizar o abcesso e drenar o pus dele. Os drenos são mantidos até que estejam sendo retirados menos de 10 cc por dia. Tomografias computadorizadas ou ecografias semanais também são realizadas, para garantir que o abscesso esteja sendo suficientemente drenado. Após a retirada do pus do fígado, os pacientes geralmente se submetem a um tratamento prolongado com antibióticos para assegurar a total eliminação da substância.

Medicação

A paromomicina é um medicamento normalmente usado para curar a amebíase intestinal, uma inflamação intestinal causada por amebas parasitárias, e ele ajuda a o fígado a se curar dos efeitos do abcesso. Outros medicamentos incluem: Metronidazol, Apo-Metronidazol, Femazole, Flagyl, Flagyl ER, Flagystatin, Helidac, Losec Helicopak, Metizol, MetroGel, Metro IV, Metryl, Neo-Tric, Novo-Nidazole, Protostat, Rho-Metrostatin, SK Metronidazol e Trikacide.

Acompanhamento

Após o tratamento inicial para o abscesso, haverá acompanhamento semanal até que o médico tenha certeza de que o perigo passou. Um sintoma de um problema é se o paciente tem uma febre persistente por duas semanas durante os tratamentos. Isso pode indicar que o corpo está lutando para combater a infecção, e um tratamento mais agressivo pode ser necessário.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível