Tratamentos para a esofagite erosiva

Escrito por contributing writer | Traduzido por fabiana silva
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tratamentos para a esofagite erosiva
O esôfago é um canal que conduz o alimento até o estômago

A esofagite erosiva é uma condição que ocorre com mais frequência como resultado de um problema subjacente. As opções de tratamento dependem do problema que causa essa condição, e podem incluir medicamentos, procedimentos médicos ou cirurgia. Na maioria dos casos, os médicos concordam que as mudanças no estilo de vida do paciente são uma parte importante de todo o plano de tratamento.

Outras pessoas estão lendo

Esofagite erosiva: uma definição

O esôfago é o tubo muscular que liga a garganta ao estômago. O músculo esfíncter, localizado na base do esôfago, controla o fluxo de alimentos e evita o refluxo dos ácidos do estômago, dos sais biliares e dos sucos digestivos pancreáticos. Se esses fluidos espirrarem de volta, podem destruir o delicado tecido que reveste o esôfago. Se não tratada, essa doença pode evoluir para esofagite erosiva, uma erosão e ulceração potencialmente perigosa das paredes do esôfago. Os sintomas mais comuns são: sensação de queimação na garganta, dificuldade de engolir ou sensação de obstrução na garganta, refluxo do ácido ou azia e sinais de sangue nas fezes ou no vômito. Antes de estabelecer um plano de tratamento, é necessário diagnosticar a causa subjacente a essa condição.

Diagnosticando o problema

O refluxo ácido ou DRGE (doença do refluxo gastroesofágico) é uma das principais causas da esofagite erosiva; no entanto, também existem outras causas. O tecido esofágico pode ficar danificado pela exposição à radiação ou a substâncias químicas. Problemas de motilidade que afetam a correta função muscular do esôfago podem causar danos. Infecções bacterianas ou ocorrências excessivas e prolongadas de vômitos também podem resultar em esofagite erosiva. Essa condição também pode se desenvolver em virtude de um buraco no diafragma ou de uma hérnia de hiato. Se houver suspeita de esofagite erosiva, uma endoscopia, que é o procedimento que examina as paredes interiores do esôfago, pode ser solicitada pelo médico. Como parte do procedimento endoscópico, o médico poderá remover amostras de tecido para análise e testes para infecções bacterianas. A manometria, um teste que mede a pressão dos músculos esofágicos durante a deglutição, e o exame de raios-X de bário são ferramentas de diagnóstico usadas para o mapeamento da função muscular e dos problemas de motilidade.

Tratamentos - Medicação

A DRGE na fase inicial pode ser tratada com antiácidos e bloqueadores de H2. Para os pacientes de DRGE com esofagite erosiva, os inibidores da bomba de prótons (IBP) são regularmente prescritos. Esses medicamentos trabalham para impedir a produção dos ácidos estomacais. Para alguns pacientes, o tratamento mais eficaz é a combinação de bloqueadores de H2 e IBP. Em casos de inflamação grave, o médico também pode prescrever um ciclo de corticosteroides. Os antibióticos são o protocolo correto para exames laboratoriais que indicam a presença de infecção bacteriana. Não existem medicamentos orais que tenham mostrado em longo prazo sucesso no tratamento dos problemas de motilidade, entretanto, as injeções de botox têm mostrado relaxar os músculos da parede do esôfago, dando aos pacientes uma maior capacidade de engolir. Essas injeções não representam uma solução permanente, e a maioria dos médicos recomenda que esse tratamento seja repetido anualmente.

Intervenções cirúrgicas e outros procedimentos

Os pacientes que apresentam problemas de constrição e motilidade podem ser candidatos à dilatação pneumática, um processo no qual um tubo fino com um balão na ponta é inserido no esôfago e suavemente inflado. Essa técnica dilata a passagem esofágica e permite a função normal. Uma hérnia hiatal é um orifício no diafragma que permite que o tecido do estômago seja pressionado contra os músculos, na junção do estômago e do esôfago. A correção cirúrgica é o tratamento mais eficaz para essa condição. A cirurgia de fundoplicatura reforça os músculos enfraquecidos do esfíncter entre o esôfago e o estômago. Nesse procedimento, o fundo, ou a passagem superior do estômago, é preso ao redor da parte inferior do esôfago, eliminando o retorno dos respingos de ácido gástrico.

Ações que você pode tomar

O seu médico irá definir as mudanças que você pode fazer em sua rotina diária, que podem ser muito úteis para sua recuperação. Algumas das recomendações incluirão evitar alimentos ou bebidas que sejam picantes ou ácidos. Conforme mostram os documentos, as bebidas alcoólicas e o cigarro são irritantes para o esôfago. Fazer 5 ou 6 pequenas refeições leves por dia pode reduzir o estresse em seu sistema digestivo. Também é aconselhável escolher os alimentos que são macios e fáceis de ser ingeridos. Use um canudo para evitar engolir grandes quantidades de líquido. Use a gravidade a seu favor, elevando a cabeceira de sua cama com blocos de 15 a 20 centímetros de altura. Essas mudanças simples no estilo de vida podem ajudar a acelerar a recuperação e evitar problemas futuros.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível