Tratando a dor com tramadol

Escrito por james rutter | Traduzido por izabel santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tratando a dor com tramadol
Tratando a dor com tramadol (Photos.com/AbleStock.com/Getty Images)

O tramadol é um medicamento vendido sob prescrição usado para tratar dores moderadas e agudas durante curtos períodos. Seu princípio ativo é o cloridrato de tramadol, que dá origem ao nome comercial do medicamento. Pacientes que tomaram outros medicamentos não devem tomar tramadol, pois isso pode resultar em uma overdose fatal. O tramadol pode prejudicar o discernimento e causar alguns efeitos colaterais.

Outras pessoas estão lendo

Identificação

Tramadol é um analgésico que contém cloridrato de tramadol. Ele é produzido pelos laboratórios Teuto e Medley e vem em cápsulas ou como solução injetável. Os cientistas ainda não compreendem completamente como o cloridrato de tramadol alivia a dor. Ele estimula a produção de endorfina no cérebro atuando nos receptores opioides, mas não é um opioide.

Uso médico

Em pacientes adultos, o tramadol é usado para tratar de dores moderadas a agudas durante curtos períodos (cinco dias ou menos) e não é recomendado para crianças com menos de 16 anos. Ele age rapidamente; os pacientes normalmente sentem alívio uma hora após a ingestão do medicamento.

Riscos

Qualquer pessoa que já sentiu efeitos colaterais de opioides ou que está tomando um opioide não deve usar tramadol, pois isso pode reduzir a atividade respiratória e do sistema nervoso central a níveis perigosamente baixos. O tramadol pode aumentar o risco de convulsões em pacientes que estão tomando certos antidepressivos (inibidores seletivos de receptação da serotonina), outros opioides e inibidores de monoaminoxidase (IMAO). Pacientes com epilepsia, traumatismo craniano ou com histórico de convulsões correm risco maior de sofrer esse efeito colateral. O tramadol é transmitido através da amamentação e também pela placenta, em caso de gravidez. Ele se enquadra na classe C de risco, significando que mulheres grávidas que estejam amamentando ou mulheres que possam vir a engravidar só devem usar tramadol se o médico considerar que os benefícios são maiores do que o risco para o bebê.

Efeitos colaterais

O uso de tramadol já resultou em convulsões e pode causar reação alérgica grave, morte, urticária, angioedema (inchaço da garganta, do rosto e da boca) e irregularidades respiratórias. O tramadol pode causar sintomas de abstinência, tais como insônia, náusea, diarreia, ansiedade, sudorese e dor. Há relatos de danos ao fígado e aos rins em doses normais.

Posologia

A posologia recomendada depende da forma farmacêutica do medicamento. Consulte um médico e um farmacêutico e leia a bula. Para adultos, a dose média recomendada para o tramadol em cápsulas é de uma cápsula de 50 mg por dia, mas é indicado realizar ajuste de dose individualizado.

Precauções

O tramadol pode causar sonolência e tonturas, prejudicar o discernimento, a coordenação e o raciocínio. Os pacientes não devem dirigir ou operar máquinas pesadas enquanto estiverem usando o medicamento. O consumo de álcool, de outros analgésicos (especialmente opioides), de hipnóticos e de tranquilizantes pode intensificar os efeitos do tramadol e prejudicar ainda mais as capacidades físicas e mentais.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível