O uso da sertralina no tratamento do transtorno bipolar

Escrito por matt knouff | Traduzido por laila teixeira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O uso da sertralina no tratamento do transtorno bipolar
A sertralina pode ser receitada para o tratamento dos sintomas depressivos do transtorno bipolar (BananaStock/BananaStock/Getty Images)

A sertralina é um antidepressivo da classe dos inibidores seletivos da receptação da serotonina e pode ser receitada para o tratamento dos sintomas depressivos do transtorno bipolar.

Outras pessoas estão lendo

Uso

A sertralina e outros antidepressivos costumam ser usados para o tratamento do transtorno bipolar apenas nos casos em que estabilizadores de humor não surtiram efeitos sobre os sintomas depressivos. Nesses casos, estabilizadores de humor como a lamotrigina ou o lítio costumam ser usados concomitantemente à sertralina.

Interações medicamentosas

Antipsicóticos, comumente usados para estabilização do humor no tratamento de pacientes com transtorno bipolar, podem aumentar o risco de ocorrência de uma síndrome serotoninérgica quando tomados juntos com a sertralina. Alucinações, agitação, alterações na pressão arterial e na frequência cardíaca, coordenação motora prejudicada, tensão muscular ou fraqueza, náuseas, diarreia e vômito são sintomas dessa síndrome.

Efeitos colaterais

Disfunções sexuais, boca seca, sudorese, tontura, dores de cabeça, tremores, fadiga, alterações no sono e problemas gastrointestinais são efeitos colaterais comuns provocados pelo uso da sertralina.

Aviso

É necessário ser cauteloso ao receitar sertralina para pessoas que sofrem de transtorno bipolar pois ela pode gerar um episódio maníaco. Monitoramento atento dos sintomas é necessário durante as primeiras semanas de tratamento a fim de que se possa avaliar quaisquer mudanças de humor.

Alternativas

Alternativas medicamentosas à sertralina no tratamento dos sintomas de depressão do transtorno bipolar incluem outros antidepressivos, como a bupropiona e a venlafaxina; antipsicóticos atípicos, como a olanzapina e a quetiapina; lítio e anticonvulsivantes, incluindo drogas como o valproato e a lamotrigina.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível