Os usos de isopor em esculturas

Escrito por mark morris | Traduzido por fernanda de assis
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Os usos de isopor em esculturas
Existem muitos usos para o isopor em esculturas (face sculpture image by timur1970 from Fotolia.com)

O isopor é um material incrivelmente versátil. É impermeável, imune a pragas e podridão, e extremamente leve. Quando se trata de esculturas, o isopor é um material muito útil. Pode ser adquirido em tamanhos grandes por bons preços, moldado com ferramentas manuais comuns e transportado com facilidade. Sua flexibilidade se presta a muitos usos, desde simular esculturas a serem criadas em mídias mais caras até ser usado como uma armação ou uma base para moldes.

Outras pessoas estão lendo

Belas artes

Como material para esculturas, o isopor pode ser trabalhado para se parecer com pedra ou madeira, sendo perfeito para modelos e moldes.

Pode-se fazer modelos de peças a serem esculpidas posteriormente em pedra com um bloco grande de isopor. Assim pode-se observar, no tamanho desejado, as proporções e detalhes de forma precisa antes de sequer tocar numa marreta.

Também se pode criar esculturas a serem moldadas em bronze, fibra de vidro e outros materiais. Cria-se a escultura usando facas quentes, serrotes, ferramentas Dremel (ver "Recursos") ou praticamente qualquer ferramenta com corte. Uma vez terminado o trabalho de esculpir, reveste-se a escultura com argamassa ou outro material específico para selar o molde; depois disso pode-se usar o molde da forma que for desejada.

O isopor também pode ser usado como armação ou base para uma escultura. Reveste-se a peça com argamassa, estuque ou látex líquido, para conseguir o efeito desejado.

Para esculturas que ficam em áreas protegidas, ou em interiores, o isopor pode ser usado como material primário, depois decorado com tinta e outros revestimentos.

Usos cênicos

O isopor pode ser usado para imitar praticamente qualquer material. Seu peso e custo, ambos leves, o tornam inestimável na construção de cenários teatrais.

Pode-se esculpir pedras, tijolos e outras alvenarias para elementos cênicos. Combinando o alto nível de detalhe que podem ser esculpidos em isopor com as técnicas de pintura teatrais, consegue-se um alto grau de realismo, que pode até enganar o olho humano.

Vigas de madeira, esquadrias de janelas, lareiras e outros elementos arquitetônicos também podem ser feitos com isopor. Pode-se ainda revestir o isopor com texturas, para conseguir efeitos ainda mais realísticos.

Grandes blocos de isopor podem ser usados para esculpir árvores em tamanho real. Nada mais de representar florestas com paisagens pintadas em tecido! Leves o suficiente para serem carregadas ou levadas facilmente com um carrinho para o palco e para fora dele, árvores de isopor dão uma nova dimensão às produções teatrais.

Elementos arquitetônicos

O isopor é usado na arquitetura há décadas. Elementos arquitetônicos esculpidos a partir de isopor são feitos mais rápido e facilmente instalados em fachadas padrão. Com os revestimentos certos, o isopor é robusto o suficiente para sobreviver até mesmo às mais severas condições climáticas e outros desgastes.

Molduras esculpidas de isopor podem mudar o visual de um prédio comercial, escola ou igreja. Diversos moldes, com a aparência de pedra sólida podem ser adicionados sobre estruturas já existentes para mudar completamente sua silhueta, sem a necessidade de reforçá-la.

Colunas esculpidas em isopor, vasos e acessórios com acabamento em pedra podem ser adicionados a casas com um pouco de cimento de construção e alguns parafusos.

Acabamentos internos também podem ser esculpidos em isopor para adicionar detalhes para a decoração. O custo é muitas vezes menor que o de detalhes de acabamento tradicionais, e nenhuma árvore precisa ser cortada para obter a aparência desejada.

Não perca

Recursos

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível