×
Loading ...

Wagner Moura: de Salvador a Hollywood

Frazer Harrison/Getty Images Entertainment/Getty Images

Introdução

Foi na pele do capitão Nascimento, no filme "Tropa de Elipe", que o ator Wagner Moura chegou ao auge de seu sucesso no cinema. Quem, afinal, não se lembra de seu bordão “Pede pra sair”, com que seu personagem tratava os recrutas que tentavam passar no curso preparatório para a elite da polícia carioca? Tanto sucesso alçou o ator, nascido na Bahia, a voos maiores. Em 2013, ele filmou em Hollywood. O filme "Elysium" estreou no Brasil e já é sucesso de bilheteria. Confira abaixo a trajetória do ator que se consagra no cinema, teatro e televisão e se aventura até mesmo na música.

TV Globo / Gianne Carvalho

Em Salvador

Foi em Salvador que Wagner Moura deu seus primeiros passos como ator. Na capital baiana, fez parte de um grupo de teatro amador na escola onde estudava, o grupo Pasmem. Atuou nos palcos locais entre 1992 e 1999. No mesmo período, concluiu o curso de jornalismo pela Universidade Federal da Bahia. Trabalhou no caderno cultural do diário Correio da Bahia e também como colunista social no programa Michelle Marie, da TV Bahia, onde entrevistava celebridades. Em 2000, foi ao Rio de Janeiro, onde contracenou no espetáculo "Máquina" com os amigos e atores Lázaro Ramos e Wladimir Brichta.

Divulgação

Início no cinema

Ainda em 2000, Wagner Moura estreou no cinema, com uma ponta no filme "O Sabor da Paixão" e outro pequeno papel no filme "Abril Despedaçado", de Walter Salles. Em 2003, foi sucesso de público ao contracenar com Antônio Fagundes em "Deus é Brasileiro". No mesmo ano, fez teste – e foi aprovado – para trabalhar no longa-metragem "Carandiru", de Hector Babenco. A carreira do ator no cinema começava a se consolidar. Paralelamente, estreava na televisão em um episódio do seriado "Carga Pesada", a convite de Antônio Fagundes.

TV Globo / João Miguel Júnior

Televisão

Em 2003, após trabalhar em "Carga Pesada", Wagner participou da série "Sexo Frágil", na qual os atores interpretavam, cada um, uma mulher e um homem. Mais uma vez, Wagner dividia a cena com o amigo Lázaro Ramos. Apenas dois anos depois, fez seu primeiro protagonista na Globo, na novela "A Lua Me Disse". Também interpretou o ex-presidente brasileiro Juscelino Kubitscheck na série "JK". E, se o público brasileiro ainda não o conhecia, passou a conhecê-lo em 2008, quando ele fez o vilão Olavo, em "Paraíso Tropical".

Divulgação

Tropa de Elite

Em 2007, Wagner Moura deu vida ao capitão Nascimento, em "Tropa de Elite". Ficou nacionalmente conhecido pelo filme, que foi premiado com o Urso de Ouro no Festival de Berlim. No longa-metragem, ele interpreta um policial em busca de um substituto à frente do pelotão de elite da Polícia Militar do Rio de Janeiro. A continuação, "Tropa de Elite 2", de 2010, foi vista por mais de 10 milhões de telespectadores e ratificou a posição de Moura no cinema nacional.

Divulgação

Estrela do cinema nacional

Embora tenha se destacado em "Tropa de Elite", foi em 2011 que o ator baiano demonstrou versatilidade ao encarar papéis muito distintos entre si no cinema. Em "Vips", interpretou Marcelo Nascimento da Rocha, jovem que assumia a identidade de outras pessoas e chegou a se passar por Henrique Constantino, filho do dono da companhia aérea Gol. Em "A Busca", Moura vive um homem em busca de seu filho. Na comédia romântica "O Homem do Futuro", ele faz um cientista que volta ao passado para tentar reencontrar um grande amor.

Divulgação

Hamlet

Dar vida ao personagem Hamlet, de William Shakespeare, era um sonho antigo do ator. Em 2008, ele produziu o espetáculo e interpretou o personagem-título. Foi dirigido por Aderbal Freire Filho, que fez uma versão em que o personagem ganhou ares debochados. Na história, Hamlet é um príncipe da Dinamarca, que recebe do fantasma de seu pai a missão de vingar seu assassinato. A tragédia foi escrita em 1600 e é um dos textos que mais ganhou adaptações. A peça, e principalmente a atuação de Moura, dividiram a crítica especializada na época.

uol: Marcos Hermes/MTV / http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/manchetes-anteriores/wagner-moura-a-nova-face-do-artista-militante/

Artista militante

O ator baiano já se engajou em campanhas políticas, como a de Marcelo Freixo para o governo do Rio de Janeiro, em 2010, e para a Prefeitura do Rio, em 2012. No Festival de Gramado de 2013, foi homenageado pela sua carreira e, ao receber o prêmio, dedicou-o à família do pedreiro Amarildo, desaparecido na Favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, depois de ser levado por policiais à sede da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora).

Divulgação

Investindo na música

Wagner é casado com a jornalista e fotógrafa Sandra Delgado e tem três filhos. O versátil ator também se aventura na música. Ele integra com amigos de Salvador a banda Sua Mãe, de rock inglês com letras bregas. Em maio de 2012, também se arriscou nos vocais da Legião Urbana, em show que marcou os 30 anos do surgimento da banda que revelou Renato Russo. Moura declarou que era fã do artista e foi convidado após ter cantado as canções do grupo nos filmes "Vips" e "O Homem do Futuro". Ao lado do guitarrista Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá, realizou duas apresentações no Espaço das Américas.

Divulgação

A consagração em Hollywood

Depois de recusar convites para atuar no exterior, por não achar interessantes os papéis oferecidos, Wagner finalmente estreou em Hollywood com o filme "Elysium". Ao lado de Jodie Foster, Alice Braga e Matt Damon, o brasileiro faz o papel de um homem que leva os moradores da Terra, um lugar inóspito para se viver, para Elysium, o local para onde a elite foi para viver em paza. O filme de Neill Blomkamp (de "Distrito 9") arrecadou mais de US$ 30 milhões no final de semana de estreia nos Estados Unidos.

Divulgação

Projetos para o futuro

Wagner Moura não parece pensar em reduzir o ritmo. Ainda em 2013, dois filmes estrelados por ele estreiam: "Serra Pelada" e "Praia do Futuro". O primeiro trata da corrida do ouro no sul do Pará. No elenco, também estão Matheus Nachtergaele, Sophie Charlotte e Juliano Cazarré. Na outra película, dirigida por Karim Ainouz, ele interpreta um salva-vidas cuja vida muda após salvar um alemão. O ator também anunciou que irá estrear na direção. Em parceria com a produtora O2, de Fernando Meirelles, ele trabalhará na adaptação ao cinema do livro "Marighella – O Guerrilheiro que incendiou o mundo".