Mais
×

Tudo sobre os suplementos alimentares

Getty Images

Introdução

Cada vez mais as pessoas se preocupam com a saúde e, principalmente, com a aparência física. As academias estão constantemente investindo em diferentes atividades para atrair novos clientes e estimular os antigos. A busca pelo corpo perfeito é impulsionada pelas revistas focadas em saúde e fitness. Por isso, muitos optam por tomar suplementos para alcançar o corpo ideal, mas devido à falta de conhecimento acabam usando os produtos incorretamente. Veja aqui para que serve e como tomar cada um dos suplementos mais comuns.

Nastco/iStock/Getty Images

Whey protein

O whey protein é o suplemento alimentar mais popular do mundo. Ele é basicamente a proteína derivada do soro do leite, resultante do processo de fabricação do queijo. Usado por atletas de todos os níveis, o whey protein colabora para o ganho de massa muscular e também melhora a imunidade. A dose recomendada varia de pessoa para pessoa e de acordo com o objetivo de cada um. É recomendável tomar o suplemento após o treino, pois é nesse momento que o corpo reconstrói as células musculares. Quem tem intolerância ou alergia deve ficar atento aos componentes do suplemento, pois ele possui em sua fórmula fenilalanina, lactose e a glúten.

Ibrakovic/iStock/Getty Images

Creatina

A creatina é um composto hidrogenado derivado da glicina, um tipo de aminoácido. Ela é usada para o ganho de massa muscular, para a obtenção de força e como fonte de energia muscular. Com o uso regular do suplemento, ocorre a melhora do desempenho físico. A creatina não deve ser utilizada por aqueles que buscam perder peso, pois ela tem efeito osmótico, que acarreta a retenção de líquido, causando aumento de peso. Ela é responsável por retardar o início da fadiga, manter a hidratação celular e estimular a síntese proteica.

fatchoi/iStock/Getty Images

BCAA

BCAA é a abreviação de Branched-chain amino acid, cuja tradução seria "aminoácidos de cadeia ramificada". Esse suplemento contém três tipos de aminoácidos que não são produzidos pelo corpo humano: L-Valina, L-Leucina e L-Isoleucina. Ele é usado na recuperação de lesões musculares provocadas pelo exercício físico. Além disso, estimula a produção de insulina, que proporciona maior absorção de outros aminoácidos e nutrientes, dando maior energia durante o treino. Por isso, deve ser utilizado tanto antes quanto depois do treino. O BCCA não engorda, não contém calorias nem carboidratos em sua composição.

Stockbyte/Stockbyte/Getty Images

Waxy maize

O waxy maize é um suplemente à base de carboidratos, derivado de um tipo de milho cultivado nos Estados Unidos, o milho ceroso. A composição do vegetal (70% de amilopectina e 30% de amilose) facilita a digestão, absorção de nutrientes e fornece energia mais rapidamente se comparado a outros suplementos como a maltodextrina. Outro ponto que difere o waxy maize da maltodextrina é que este provoca um pico de insulina enquanto o waxy maize fornece energia de maneira constante. Mesmo tendo o carboidrato como base, tem zero açúcar, não retém água e não contém glúten. Ele deve ser ingerido após o treino e não é indicado para diabéticos.

tetmc/iStock/Getty Images

Maltodextrina

A maltodextrina é um carboidrato complexo de fácil digestão e absorção derivado do amido de milho. Quando associada à proteína, ela repõe energia no pós-treino, por isso é bastante indicada para os praticantes de corrida, musculação e jogadores de futebol, basquete, etc. Ela repõe rapidamente o nível de glicogênio muscular e transporta os nutrientes para as células. Pode ser usada também antes ou durante o treino, pois sua absorção pelo organismo é lenta e gradativa. Assim, fornece energia durante a prática do exercício físico. Por ter carboidratos, a maltodextrina pode engordar quando a quantidade ingerida for maior do que a necessária.

Antonio_Diaz/iStock/Getty Images

Dextrose

Assim como a maltodextrina, a dextrose é derivada do amido de milho, porém é considerada um carboidrato simples. Isso porque sua estrutura molecular é reduzida, facilitando sua digestão. Sua rápida absorção faz com que a taxa de glicose no sangue aumente rapidamente, dando energia ao corpo. Quanto maior o pico de insulina, maior o transporte dos demais nutrientes e aminoácidos. Ela deve ser ingerida após o treino em conjunto com outros suplementos, assim o corpo irá quebrar as calorias da dextrose e gerar combustível para o músculo. As calorias serão estocadas em forma de glicogênio e não em forma de gordura.

Monkey Business Images/Monkey Business/Getty Images

Glutamina

A glutamina é um aminoácido já presente no corpo humano e muito importante para o funcionamento de alguns órgãos, como coração, rim, pulmão, fígado e intestino. Ela é recomendada para quem frequenta a academia diariamente e faz exercícios de alta intensidade. Sua principal função é auxiliar no ganho de massa muscular, pois tem papel importante na síntese proteica. A glutamina colabora para a síntese do tecido muscular, aumentando a força, resistência e diminuindo o tempo de recuperação. Ela deve ser tomada após o treino e não engorda.

ruigsantos/iStock/Getty Images

Hipercalórico

O hipercalórico é uma combinação de diversos carboidratos com alto índice glicêmico. Ele é recomendado para pessoas que estão abaixo do peso ou praticam alguma atividade física que tenha grande perda calórica. O suplemento possui maior composição de maltodextrina e deve ser utilizado até que a pessoa atinja o peso desejado. Após chegar ao objetivo, é recomendável trocar o hipercalórico por um suplemento com menos carboidrato, como é o caso do whey protein e da dextrose. Deve ser ingerido pela manhã, devido ao longo período sem alimentação, e também meia hora antes do treino, como fonte de energia.

David De Lossy/Photodisc/Getty Images

Termogênico

O termogênico é conhecido como o suplemento mais recomendável para a queima de gordura. Isso porque ele acelera os batimentos cardíacos e aumenta a temperatura corporal, dando mais energia e disposição para a prática de exercícios. Deve ser consumido antes do treino e não é recomendável utilizá-lo à noite, pois pode causar agitação. Ele é composto por cafeína, sinefrina HLC e yohimbe, porém algumas marcas apresentam a efedrina, substância proibida no Brasil e nos Estados Unidos, pois pode ser nociva para o corpo humano. O termogênico não deve ser tomado por longos períodos, pois pode afetar o sistema nervoso central e aumentar o estresse.