Ascite em cães

Escrito por adrienne farricelli Google | Traduzido por andressa ferrari arevalo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Ascite em cães
A ascite pode ser evidente ou não, dependendo do cão (dogue de bordeaux image by Anthony CALVO from Fotolia.com)

Ascite em cães é um sintoma que nunca deve ser subestimado. Na verdade, ascite é frequentemente um indicativo de algum tipo de mal funcionamento de um órgão ou de alguma anormalidade grave no corpo do animal. O nível de ascite pode ser pouco perceptível em alguns cães ou evidente em outros. Devido à possibilidade de algo grave estar acontecendo, qualquer cachorro com ascite deve ser levado imediatamente a um veterinário para uma rápida avaliação e plano de tratamento.

Outras pessoas estão lendo

Definição

A ascite é um acúmulo anormal de fluido na cavidade abdominal. O vazamento desses fluidos pode derivar de vasos sanguíneos, órgãos internos, massas abdominais e linfonodos. Em alguns casos, o nível de ascite pode ser bastante evidente, muitas vezes causando um inchaço abdominal tão grave que pressiona o diafragma, causando dificuldade respiratória no cão. A ascite, por si só, não cria problemas, é a alteração primária que precisa ser abordada.

Causas

Ascite pode ter várias causas. Um trauma pode fazer com que órgãos como o baço, bexiga ou vesícula biliar se rompam, causando o vazamento de fluidos. Sangramento de tumores como um hemangiossarcoma pode ser outra causa. A insuficiência cardíaca pode fazer com que o coração seja incapaz de bombear adequadamente o sangue, levando a um aumento de pressão nas veias e, eventualmente, à ruptura, com consequente vazamento. Outras causas podem ser peritonite, distúrbios hemorrágicos, um vaso sanguíneo rompido e doença hepática.

Sintomas

A ascite em cães provoca vários sintomas que podem variar dependendo da causa primária. Os mais notados são: dificuldade respiratória devido ao aumento de volume abdominal suficiente para pressionar o diafragma, tosse, que é muitas vezes um sintoma de doença cardíaca, diarreia, e, por vezes, fraqueza, vômitos e gengiva pálida, que sugerem a perda de sangue, e, é claro, o sintoma característico, que é um abdômen distendido. Ao bater de leve no abdômen, muitas vezes é possível ouvir um som maciço.

Tratamento

O tratamento, obviamente, depende de qual é a causa primária. Um dos primeiros passos, se o cão está tendo dificuldade para respirar, é um procedimento conhecido como "abdominocentese", que consiste em retirar o líquido excedente com uma agulha inserida na parede abdominal. Diuréticos podem ajudar a remover o excesso de fluidos do corpo. Trauma, hemorragia interna, infecções e tumores devem ser tratados. O tratamento paliativo é fornecido conforme necessário.

Considerações

É importante salientar que a ascite não é uma condição primária, pelo contrário, é uma consequência de outra doença. Portanto, ascite em cães não deve ser tratada de forma isolada, a causa real deve ser investigada também. O prognóstico da ascite vai depender da gravidade da causa primária, do estado geral de saúde do cão e do momento em que o tratamento foi iniciado.

Não perca

Referências

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível