Como calcular uma Margem de Contribuição

Escrito por ehow contributor | Traduzido por nathalia antunes
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como calcular uma Margem de Contribuição
Calcular a margem de contribuição de sua empresa pode permitir uma visão ampla do negócio (Grafico image by Eagle from Fotolia.com)

Margem de contribuição é o lucro do negócio, mas é um tema amplo. Existem formas de fatorá-la, mas entrar em detalhes pode fornecer uma visão muito mais ampla da saúde da empresa em geral. Siga esta leitura para uma melhor definição, o porquê de sua importância e como calculá-la.

Nível de dificuldade:
Fácil

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Antes de aprender a calcular a margem de contribuição, vamos defini-la primeiro. Nos negócios, muitas vezes usamos o termo "margem" para significar lucro. Assim sendo, margem de contribuição nada mais é do que uma maneira de ver se a nossa operação é rentável. Então por que não dizer lucro em vez de margem de contribuição? Essa é uma excelente pergunta. E a resposta é porque existem vários "lucros" em que podemos focar. Por exemplo, há lucro bruto, lucro operacional, margem de contribuição e muitos outros tipos de lucros. Assim, a margem de contribuição é apenas uma das muitas medidas de lucro. E cada um se concentra em uma área diferente de nossas operações.

  2. 2

    Agora que você entende o que é margem de contribuição, vamos discutir brevemente o porquê de sua importância e utilidade. Resumindo, os custos para qualquer negócio caem em duas categorias amplas: custos fixos são aqueles cujos valores raramente, ou nunca, mudam. Eles são basicamente fixos, ou seja, constantes e imutáveis. Por outro lado, os custos variáveis são exatamente o oposto. Eles podem, e mais frequentemente, variam descontroladamente. Por exemplo, o aluguel é um custo fixo. O aluguel do apartamento muda todo mês? Não. Mas e quanto a algo como sua conta de energia ou de gás? Você chega a pagar a mesma quantia todo mês? Não, ela muda. Estes seriam exemplos de custos variáveis. A margem de contribuição incide sobre os custos variáveis. E por que? Porque eles são os únicos que mudam, tornando-os muito mais imprevisíveis. E isso os torna mais difíceis de controlar e prever. Em outras palavras, os custos fixos são conhecidos. Assim, você pode facilmente planejar como eles estarão no próximo mês e trimestre. E isso é porque esses valores permanecem constantes. Mas, com custos variáveis mudando o tempo todo, é muito mais difícil saber como estarão. Em um mês ou trimestre, eles poderiam ser muito altos e, no próximo, poderiam ser relativamente baixos. Dessa forma, a margem de contribuição é uma medida de lucro que olha como sua empresa está gerenciando os custos variáveis que sempre mudam. E, como a gerência é responsável por manter os custos sob controle, a margem de contribuição é uma forma de avaliar quão bem a gestão está sendo executada.

  3. 3

    Muito bem, você já entende o que é a margem de contribuição e seu propósito. Agora estamos no ponto onde nós realmente podemos calculá-la. Nosso ponto de partida é a venda total ou bruta. Esta é a quantidade total de vendas que tivemos durante um determinado período. Algumas empresas agregam as vendas de todos os produtos em uma figura única. Outros vão separá-las, possibilitando a eles rastrear as vendas de produtos individuais ou de tipos de produtos. Quando calcula-se a margem de contribuição, é melhor fazê-lo tanto pra produtos individuais quanto para todo os produtos. Por que? Porque é possível ter uma linha de produtos com melhor desempenho. Em outras palavras, a gerência pode ter um melhor controle sobre os custos de variável de um produto do que de outro. Então, você ainda poderia estar sendo rentável com todos os produtos em geral e, ainda assim, com baixa rentabilidade em relação a um produto específico. Gerência, investidores e credores estão muito interessados em saber isso. Agora, depois de ter seus números de vendas, você simplesmente deduz seus custos variáveis dos mesmos. Com as vendas brutas, você deduz os totais dos custos variáveis — e isso porque você está olhando para todos os produtos juntos como um único. O resultado desta subtração será sua margem de contribuição. Quando você está olhando a margem de contribuição do cada linha produto, você basicamente deve fazer a mesma coisa. A única mudança é que você começará com as vendas brutas daquela linha de produto. E, em seguida, deverá subtrair os custos variáveis dela. O resultado final será a margem de contribuição daquela linha de produtos.

  4. 4

    Quando você está calculando sua margem de contribuição, deve listar cada custo variável separadamente. Em outras palavras, não faça o seguinte: vendas igual a R$ 500.000; custos variáveis igual a R$ 50.000 e margem de contribuição R$ 450.000. Qual é o problema em fazê-lo desta maneira? Bem, o problema é que você não pode ver quais custos variáveis são maiores ou estão fora de controle. E isso é porque eles estão misturados. No entanto, se o fizermos com o seguinte método: vendas igual a R$ 500.000; custos variáveis, incluindo materiais igual a R$ 15.000, mão de obra R$ 20.000 e utilitários R$ 15.000 para um total de R$ 50.000; e a margem de contribuição é igual a R$ 450.000. Quebrando seus custos variáveis em componentes, você pode monitorar ativamente cada um para ver como estão sendo gerenciados ao longo do tempo. Por exemplo, nós temos que controlar melhor nossos custos de materiais, mas não o nosso trabalho.

Dicas & Advertências

  • Certifique-se de que você categorize corretamente seus custos como fixo ou variável. Caso não estejam, é provável que, primeiro, os cálculos sejam jogados fora. Em segundo lugar, quem olhar os resultados pode tomar uma má decisão pelo fato de os números estarem incorretos.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível