Problemas da cirurgia para escoliose

Escrito por bonnie bruneau | Traduzido por luiz afonso de oliveira moura santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Problemas da cirurgia para escoliose
A escoliose acomete mais mulheres (flickr.com)

Escoliose é uma curvatura anormal na coluna em que os ossos da mesma giram como um saca-rolhas. É mais comum em mulheres e pode ser hereditária. Cirurgias podem ser usadas para tratar escoliose, o que pode envolver usar ganhos e parafusos para ancorar a espinha e mantê-la reta, remover um disco ou remover uma costela. Existem potenciais riscos nessa cirurgia para os quais os pacientes devem ficar atentos.

Outras pessoas estão lendo

Infecções

Como em qualquer cirurgia, sempre existe risco de infecção. Entretanto, o risco para uma cirurgia de escoliose é baixo. São administrados antibióticos antes, durante e depois da cirurgia para se prevenir. Se ocorrer uma infecção, cirurgias adicionais podem ser necessárias para limpar a área afetada. Mais antibióticos também são administrados na forma de pílulas ou intravenosos.

Problemas com implantes

Na cirurgia para escoliose, é possível que um implante se solte ou quebre. Se isso ocorrer, será necessária uma segunda cirurgia.

Sangramentos

Sangramentos são normais após qualquer cirurgia. Os sangramentos são minimizados durante a cirurgia com técnicas cuidadosas e através de uma técnica anestésica conhecida como anestesia hipotensora, na qual a pressão do paciente é diminuída e mantida em um nível saudável. O sangue também pode ser coletado, filtrado e devolvido ao paciente.

Coágulos sanguíneos

Após qualquer cirurgia grande, existe o risco da formação de coágulos sanguíneos. Esse risco é raro mas não é impossível experienciar tal fenômeno após uma cirurgia na coluna. Se um coágulo for formado, ele pode se soltar e então ir para os pulmões, o que pode impedir os mesmos de receber oxigênio. Os coágulos podem ser tratados com cirurgias adicionais. Para prevenir esse fenômeno, o paciente pode receber anticoagulantes, usar meias compressivas ou se manter ativo através de movimentos com as pernas e saindo da cama precocemente.

Dano neurológico

O risco de dano no cordão espinhal ou em nervos, apesar de possível, é pequeno. Para prevenir esse problema, os cirurgiões usam técnicas cuidadosas. Além disso, a medula espinhal é monitorada através de sinais elétricos. Esse sinais são acompanhados por um profissional e qualquer alteração é informada ao cirurgião.

Riscos da anestesia

Toda vez em que um paciente é sedado para uma cirurgia, existem riscos potenciais da anestesia. Antes mesmo da cirurgia, um anestesiologista conversa com o paciente sobre os potenciais riscos assim como seus problemas de saúde. Os riscos possíveis incluem dor de cabeça, dificuldades para engolir durante a cirurgia, mudanças na frequência cardíaca, pressão arterial, infartos ou derrames.

Deformidade aumentada do tórax

Essa é uma potencial complicação da cirurgia para escoliose. Durante o ato cirúrgico, é usada força para alinhar e diminuir a rotação da coluna e, com isso, é possível piorar uma protrusão de costelas. O cirurgião pode tentar consertar isso cortando as costelas, mas, quando isso ocorre, é possível que ocorra um fenômeno conhecido como escoliose progressiva. Além disso, as funções normais da caixa torácica podem ser permanentemente afetadas.

Na cirurgia de escoliose, reduzir a curva lateral da parte média das costas pode piorar a deformidade e causar algo conhecido como "costas chatas". Nessa condição, o pescoço, o tórax e a região lombar perdem sua curvatura, o que é pior que a deformidade original.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível