Sintomas psicológicos causados pelo uso da metanfetamina

Escrito por kate mcfarlin Google | Traduzido por jesse mourao
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Sintomas psicológicos causados pelo uso da metanfetamina
A metanfetamina é uma droga muito potente e viciante (Jupiterimages/Pixland/Getty Images)

O uso da metanfetamina pode ter muitos efeitos psicológicos e fisiológicos a longo prazo sobre o corpo humano. Muitos destes efeitos ainda estão sendo identificados e estudados. Embora cada pessoa seja diferente, existem vários efeitos a longo prazo que são comuns entre os usuários crônicos de metanfetamina. Infelizmente, muitos deles são irreversíveis.

Outras pessoas estão lendo

Cárie dentária

O uso de metanfetamina a longo prazo leva a uma condição conhecida como "boca de metanfetamina". Apesar da própria droga provocar manchas no esmalte dos dentes se for fumada, ela estimula o consumo de açúcar, acelerando o surgimento de cáries. Usuários de metanfetamina consomem grandes quantidades de refrigerantes açucarados, enquanto estão sob a influência da droga. Além disso, nem sempre os usuários possuem uma adequada higiene dental durante o uso, e essa situação se agrava em um longo período de tempo de uso. Dessa forma, essas pessoas irão apresentar cárie dentária e, ao longo do tempo, todos os dentes podem ser afetados.

Cicatriz

O uso de metanfetaminas pode causar ao usuário uma sensação como se houvesse insetos rastejando sob a pele. Esta sensação pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas normalmente é intensamente sentida na face e braços. Isto leva o usuário a coçar a pele, causando ferimentos a si próprio. Devido à droga, as feridas causadas não saram com facilidade e cicatrizes são muito comuns. Além disso, o consumo de metanfetamina pode inibir a química do corpo, o que conduz a um aumento da acne, podendo também deixar cicatrizes.

Mudanças no cérebro

As mudanças no interior do cérebro ainda estão sendo estudadas, mas parece que o uso a longo prazo pode causar danos graves. Um cérebro de um usuário de 16 anos pode ser comparado ao cérebro de um idoso de 70 anos com a doença de Alzheimer. O córtex cerebral do "prazer" começa a atrofiar com o uso prolongado desta droga e, com o passar do tempo, os receptores de dopamina ficam danificados. Isto leva a pessoa a ingerir uma quantidade maior da droga para manter o efeito. Com o tempo, o usuário pode não ser capaz de sentir qualquer tipo de prazer, pois todos os receptores estarão completamente destruídos. Apesar de o cérebro poder se regenerar quando o consumo da droga for encerrado, este é um processo lento, e o cérebro jamais voltará ao que era antes.

Órgãos internos

O uso da metanfetamina também causa danos aos órgãos internos, especialmente o coração e o fígado. O coração de um usuário de metanfetamina é posto sob tensão constante, quando a droga está em seu sistema. Ela faz com que o coração pulse muito mais rápido do que o normal e, eventualmente, ele pode até falhar devido à grande pressão. Os pulmões também podem ser afetados adversamente se a droga for fumada, e o dano é mais grave do que o causado por cigarros comuns. Além disso, o fígado não consegue processar as toxinas da droga corretamente e, com o tempo, pode endurecer e tornar-se doente, antes de falhar completamente.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível