Sobre desinfetantes

Escrito por contributing writer | Traduzido por ingrid marçal
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Sobre desinfetantes
Desinfetantes são utilizados para inibir o crescimento ou matar micro-organismos que são prejudiciais para os seres humanos e animais (E.coli, a well-known microbe)

Os desinfetantes são utilizados para inibir o crescimento ou matar micro-organismos que são prejudiciais para os seres humanos e animais. Os micro-organismos encontrados nas superfície podem ser bactérias, vírus ou fungos. Além de serem utilizados para controlar o crescimento de fungos, também são usados para proteger as superfícies contra um possível crescimento dos mesmos. Antissépticos são desinfetantes usados em tecidos humanos, para destruir micro-organismos enquanto deixam os tecidos ilesos. Como as pessoas têm procurando o perfeito equilíbrio entre eficácia e proteção, o uso de desinfetantes possui uma longa história.

Outras pessoas estão lendo

Importância

Os desinfetantes foram usados para reduzir eficazmente o risco de doenças, desativando ou destruindo micróbios que podem causar infecções. Eles têm sido utilizados para tratar a água, tornando-a potável, e também nos hospitais, controlando a propagação de infecções por micro-organismos. Também são utilizados na indústria alimentar, para manter os alimentos livres de contaminantes que podem transmitir doenças e destruir micro-organismos que podem se formar em tecidos humanos.

História

Praticas de desinfecção têm sido utilizadas pelo homem desde os tempos antigos, mas a ciência só passou a utilizar desinfetantes para destruir micro-organismos por volta de 150 anos atrás. O calor foi um dos primeiros desinfetantes, seguido pelo uso de dióxido de enxofre como substância para fumigação (tratamento químico com substâncias em estado gasoso ou vapor). No campo da medicina, em meados do século IV, os cirurgiões usavam vapores especiais para desinfetar as salas de cirurgia. Alguns séculos mais tarde, foi descoberto o etanol, mas ele não foi usado como desinfetante para tratar feridas até meados do século XVIII. Depois do etanol, muitos outros produtos químicos foram utilizados, como o cloro, água com vinagre, hipoclorito, iodo, peróxido de hidrogênio e ácido fônico. Conforme os produtos químicos foram sendo introduzidos, técnicas e razões de desinfecção eram compreendidas.

Considerações

Deve haver um equilíbrio entre a eficácia do desinfetante e a segurança global do produto. Geralmente, quanto melhor um composto for na desinfecção, maior a sua toxidade, e vice-versa. Desinfetantes possuem um efeito negativo para o meio ambiente, e isso deve ser levado em consideração na formulação de novos desinfetantes.

Características

Alguns desinfetantes começaram a resistir aos micro-organismos, perdendo a eficácia. Novas estirpes de micro-organismos estão aparecendo, e novos desinfetantes são formulados para destruí-los. Isto é semelhante ao que ocorre com os antibióticos.

Teorias / Especulações

O desinfetante ideal não deve ser tóxico para os animais ou seres humanos, devendo ser ecológico e não degradar o meio ambiente, quando acumulado. Também deve ser capaz de lidar com todos os micro-organismos, agindo rápido, com cheiro agradável, seguro para usar e também deve ser capaz de interagir com quaisquer outros produtos químicos de forma segura.

Tipos

Existem vários tipos diferentes de desinfetantes, alcoóis, aldeídos, compostos de cloro e oxigênio, compostos fenólicos e compostos de amoníaco. O desinfetante mais comum, usado em residências, é o cloro, que mata uma grande variedade de micro-organismos, porém não é exatamente seguro quando em concentrações mais elevadas. Outro antimicrobiano de uso comum é o triclosan, que é usado em sabões e em cremes dentais, em baixas concentrações.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível