Tipos de pneus que melhoram o consumo de combustível

Escrito por richard rowe | Traduzido por thiago andre scarani
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tipos de pneus que melhoram o consumo de combustível
Aparentemente, este pneu está indo mais longe do que o carro em que estava (Todd Warshaw/Getty Images Sport/Getty Images)

Os pneus apresentam um tipo de dilema em termos de desempenho. Por um lado, você quer um pneu que praticamente cole na pista, para melhorar a aceleração, a frenagem e a estabilidade. Por outro lado, esta mesma característica faz que ele também fique colado na estrada, durante as retas, que é quando você quer que ele ofereça o mínimo de resistência possível. No final das contas, tudo depende do que você prefere priorizar, de acordo com o tipo de desempenho de sua preferência.

Outras pessoas estão lendo

Informações básicas sobre pneus

Os pneus usam adesão mecânica e molecular para agarrar à estrada. A adesão mecânica é aquela em que a borracha se dobra e deforma para aderir às pequenas imperfeições da estrada. A adesão molecular é a tendência de dois materiais diferentes de aderirem no nível molecular. Então, a chave para fazer um pneu durar por muitos quilômetros é reduzir a adesão mecânica, através da redução da área de contato, que é onde ele se deforma ao tocar na pista, e otimizar seu composto de borracha, para reduzir a adesão molecular.

Compostos duros de borracha

Os trens usam rodas de aço porque este praticamente não tem adesão molecular com os trilhos metálicos e, como tal, praticamente não oferecem resistência ao movimento. Os pneus funcionam da mesma forma: um composto de borracha que seja tão duro quanto a superfície da rua fará a mesma coisa. Apesar da ciência por trás da borracha ser complicada, o índice de desgaste do pneu oferece uma idéia quanto à dureza do composto de borracha. Quanto mais alto for esse índice, mais duro e durável é seu composto de borracha.

Tamanho do pneu

Usar um pneu mais curto e mais estreito aumenta a economia de duas formas. Primeiro, a superfície de contato mais estreita reduz o tamanho da área de contato, reduzindo tanto a adesão mecânica quanto a molecular. Quanto menos borracha estiver em contato com a rua, menos aderência. Segundo, o pneu mais baixo e mais fino pesa menos do que o maior. Um pneu pesado funciona como o volante do motor, armazenando energia cinética conforme gira até sua velocidade desejada. Quando maior o pneu, mais energia, e consequentemente mais combustível, ele requer para chegar nessa velocidade. Rodas e pneus mais leves afetam principalmente o uso urbano, mas não afetam significativamente o uso em estrada.

Paredes laterais mais curtas

Voltando ao exemplo da roda do trem, manter a roda o mais dura e redonda possível reduz sua resistência ao rolamento, pois diminui a área lateral que entra em contato com a estrada. Um pneu de baixo perfil, com paredes laterais curtas, não deforma tanto ao receber carga quanto um pneu mais alto, liso ou fora de estrada. Assim, o diâmetro externo do pneu é mantido o mais próximo possível do formato da roda, melhorando o consumo de combustível de forma geral.

Desenho dos sulcos

A aderência mecânica do pneu tem tanto a ver com o desenho dos sulcos quanto com suas dimensões físicas. Sulcos largos e laterais — de um lado a outro — farão o pneu se comportar como a lagarta de um tanque, agarrando-se às imperfeições na rua para se empurrar para frente. São bons para obter aderência em terreno acidentado, mas não para economizar combustível. Os sulcos longitudinais, que criam "pulseiras" ao longo da circunferência do pneu, reduzem a quantidade de borracha que entra em contato com a rua e a resistência ao rolamento através da aderência mecânica.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível