Tratamento do herpes labial por lisina quântica

Escrito por robin reichert | Traduzido por rodrigo castilhos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tratamento do herpes labial por lisina quântica
O herpes labial normalmente aparece em regiões próximas ao nariz e lábios (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

Outras pessoas estão lendo

Visão geral

O tratamento do herpes labial por lisina quântica é um tratamento limpo e tópico cujo objetivo é promover naturalmente o processo de cura de herpes que ocorre nos lábios. Também funciona para os sintomas do herpes, como a dor, a sensibilidade e a formação de bolhas. Testes do produto pela Análise da Medicina Alternativa indica que 40% de seus entrevistados experimentaram a cura completa após três dias de uso. Isso não é uma tentativa de cura para o vírus do herpes labial.

Resultados clínicos

Betsy Singh, reitor de pesquisa de Ciências da Saúde da Universidade do Sul da Califórnia, informou que a fórmula desenvolvida diminuiu o tempo de duração dos sintomas em 50%, comparado ao do herpes não tratado. O tempo médio registrado para a cura foi de quatro dias. Entre os benefícios do medicamento, de acordo com os entrevistados, estão a ausência da ardência e sua invisibilidade.

Estágios

Nos estágios iniciais do herpes causado por um resfriado, a pessoa pode notar uma coceira ou ardência sob a pele, geralmente próximo do nariz e boca. Depois de três dias, aparecem as primeiras bolhas. No próximo estágio, pouco tempo depois, a bolha estoura. Esse é o estágio mais contagiosos do herpes. Após cinco a oito dias, aparece uma crosta e, em poucos dias, outras mais, iniciando assim o processo de cura. O ciclo todo normalmente demora de nove a 14 dias.

Sintomas do herpes

O herpes labial é causado pelo Herpes simplex vírus (HSV 1), um vírus que se aloja dentro do tecido nervoso. Embora o herpes labial seja uma variação do HSV, é diferente dos outros e não indica a presença do herpes genital. O herpes labial forma pequenas bolhas cheias de um líquido na boca ou em volta dele. A doença pode ser desencadeada por alergias alimentares, insolação, mudanças de hormônios, chocolate e estresse.

Estima-se que 80% da população já teve herpes labial. Esse vírus é contagioso e é transmitido pelo contato. Formas comuns de propagação do vírus são a partilha de alimentos, toalhas, produtos de higiene pessoal, como escovas de dente e lâmina de barbear, e pelo beijo.

Prevenção

Não há cura para o herpes labial. A melhor forma de preveni-lo é compreender o que o causa ou desencadeia. Para evitar contrair herpes, evite contato direto ou indireto com alguém que está passando por um surto ativo e não compartilhe objetos pessoais como toalhas e utensílios de cozinha, uma vez que o vírus só pode sobreviver nesses itens por algum tempo.

Uma vez que a pessoa já tenha contraído herpes labial, evitar situações de desencadeamento ajuda a prever ou minimizar surtos futuros. Algumas das causas mais importantes são: a exposição ao sol, a ingestão de alimentos que contêm arginina (amendoim, chocolate e gelatina) e o uso de uma escova de dentes velha depois de um surto.

Uma nutrição adequada e higienização também ajudam a reduzir o surto dessa condição. Além disso, pode-se fazer um tratamento de lisina quântica para herpes labial para ajudar a minimizar os sintomas e acelerar a cura, principalmente se o medicamento for usado nos primeiros estágios do surto.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível