Tratamento e prognóstico da espondilose canina

Escrito por lisa choat | Traduzido por lara scheffer
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

A espondilose canina, ou espondilose deformante, é a formação de esporões ósseos ao longo da coluna do animal ou, em alguns casos, em áreas específicas da espinha. Os veterinários suspeitam que essa condição seja hereditária.

Outras pessoas estão lendo

Raças afetadas pela espondilose canina

Todas as raças caninas correm o risco de desenvolver a espondilose; para algumas delas, a doença pode acontecer entre os noves meses e os seis anos de idade. A raça mais comumente afetada por ela é o pastor alemão.

Sintomas

Perda de equilíbrio, fraqueza, dor e incontinência urinária são alguns dos sintomas da espondilose canina. Esses sintomas geralmente afetam as articulações dos cães, principalmente nas pernas.

Diagnóstico

Quando for determinar o diagnóstico de espondilose canina, o veterinário procurará por deficiências nas pernas traseiras do cachorro. Ele precisará realizar exames laboratoriais, além de um raio-X, antes de apresentar um diagnóstico final, devido ao erro comum de se diagnosticar a doença como osteoartrite.

Tratamento

Os veterinários costumam prescrever medicações anti-inflamatórios não esteroides para dor quando tratam animais com a espondilose canina. Alguns precisam passar por uma cirurgia para remover os esporões ósseos que resultam da condição.

Prognóstico

Os cães com essa doença podem viver satisfatoriamente. Porém, dor e desconforto ao correr, brincar e passear podem ocorrer. A espondilose canina pode ser propagada conforme o animal envelhece, mas, com tratamento e visitas regulares ao veterinário, ele poderá viver com menos dor.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível