Uso prolongado de hidrocodona

Escrito por charissa mennell | Traduzido por marina villar
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Uso prolongado de hidrocodona
A hidrocodona é altamente viciante e requer atenção (Jupiterimages/Pixland/Getty Images)

A hidrocodona é um remédio altamente viciante usado para alívio da dor. É um narcótico que traz vários efeitos colaterais, mas muito conhecido por ser de grande auxílio no tratamento da dor. A hidrocodona proporciona efeitos colaterais no organismo por todo o tempo enquanto for consumida e, a longo prazo, pode ter efeitos residuais devastadores. Os médicos são bem informados quanto a substância e qualificados para determinar se os benefícios sobrepõem os efeitos negativos em casos de uso prolongado.

Outras pessoas estão lendo

Usos

A hidrocodona é administrada junto com outras drogas para o alívio da dor. Mais frequentemente, ela é combinada com o acetaminofeno em um remédio muito conhecido chamado Vicodin. A hidrocodona também pode ser combinada com anti-histamínicos ou ibuprofeno para evitar a overdose. A combinação com acetaminofeno é frequentemente usada para dores crônicas e, portanto, utilizada a longo prazo. Existem alguns efeitos colaterais e, em muitos casos, o médico cessará a administração desse remédio e trocará por outro para evitar a toxidade e probabilidade de dependência.

Dependência

A dependência é a maior preocupação do uso prolongado da hidrocodona. Ela pode vir em forma de dependência física ou psicológica. Sabe-se que a reação psicológica da hidrocodona é devido à alteração dos efeitos da mente -- algo que os dependentes apreciam. Essa substância não pode ser comprada sem prescrição, mas existem muitos locais na internet ou nas ruas onde a pessoa pode adquiri-la. O vício ocorre porque o corpo torna-se imune aos efeitos da hidrocodona e as doses precisam então ser aumentadas para sentir os mesmos efeitos. A dependência é tratada com parada gradual, metadona e terapia em um programa de reabilitação, se o vício for grande.

Danos no fígado

O uso prolongado de hidrocodona pode resultar em danos no fígado. Esse dano pode ser mais evidente se a pessoa ingerir álcool regularmente ou consumir altas doses de bebida durante o uso dessa substância. Por ser combinada com acetaminofeno para reduzir os efeitos da própria hidrocodona, ela pode apresentar maior risco ao fígado, pois o uso prolongado de acetaminofeno pode causar efeitos adversos. Seu médico deve ficar atento às funções do fígado e perceber sinais de danos como icterícia, urina escura e náusea severa.

Minimizando os efeitos

Alguns efeitos colaterais comuns incluem tontura, sonolência, diminuição da função motora, sentimentos de ansiedade, náusea, vômito, dor de cabeça e visão borrada. A maioria das pessoas não consegue evitar que esses efeitos ocorram em conjunto, mas certas coisas podem ser feitas para minimizá-los. Tomar a medicação quando determinado ou necessário é uma maneira de evitar o uso excessivo, e ainda pode reduzir os efeitos colaterais. Tomar a hidrocodona quando se alimenta ajuda na absorção e auxilia o organismo a processar a substância de forma mais lenta e apropriada. Aumentar a ingestão de água na sua rotina diária também ajuda o organismo a expulsar as quantidades excedentes da droga.

Overdose

A overdose de hidrocodona, especialmente quando combinada com acetaminofeno, pode ser extremamente perigosa e até fatal. Os sintomas de overdose incluem extrema sonolência, falta de habilidade para se focar, aumento do suor, constrição das pupilas, vômito, amarelamento dos olhos e da pele, desmaio, pulso fraco, batimento cardíaco lento, dificuldade para respirar ou respiração superficial, lábios azulados e urina escura.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível